BRT Transbrasil: entenda o projeto

27 de setembro de 2021 3 mins. de leitura
A obra do BRT no Rio de Janeiro que deveria ser finalizada em 2016 será retomada e pode facilitar a vida de milhares de pessoas

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e o secretário de infraestrutura, Jorge Arraes, anunciaram em 24 de agosto a retomada das obras do BRT Transbrasil. O gasto estimado nesse processo é de R$ 365 milhões.

A novidade é a construção do Terminal Intermodal Gentileza, que deve levar o BRT até São Gonçalo para permitir a integração com Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e diversos ônibus alimentadores, que levam às mais diversas regiões da cidade. Ao todo serão 26 km de vias adaptadas e a previsão é que a demanda estimada do BRT seja entre 150 mil e 250 mil pessoas por dia.

Histórico de atrasos

O projeto do Ônibus de trânsito rápido (BRT, na sigla em inglês) Transbrasil deveria ter sido entregue em 2016, mas as obras sofrem com paralisações desde 2014. A mais recente foi no final de 2020 e só deve acabar agora. Com isso, a previsão de custo original subiu de R$ 1,4 bilhão para R$ 1,9 bilhão.

A obra BRT Transbrasil sofre com atrasos e paralisações desde 2014. (Fonte: Joa Souza/Shutterstock/Reprodução)
A obra BRT Transbrasil sofre com atrasos e paralisações desde 2014. (Fonte: Joa Souza/Shutterstock/Reprodução)

O projeto inicial deveria cobrir 32 km de extensão. A nova previsão é que a obra termine em 2023 e cubra um pouco menos do que 26 km.

A importância do BRT Transbrasil

O BRT Transbrasil é um projeto de corredor de ônibus que acompanha a Avenida Brasil, uma das principais do Rio de Janeiro. A avenida corta uma série de bairros de baixa renda e o corredor de ônibus pode redefinir o uso e a ocupação dessa via, aprimorando espaços para moradores, visitantes e trabalhadores.

  O projeto facilitará o acesso de milhares de pessoas de baixa renda ao transporte urbano. (Fonte: T photography/Shutterstock/Reprodução)
O projeto facilitará o acesso de milhares de pessoas de baixa renda ao transporte urbano. (Fonte: T photography/Shutterstock/Reprodução)

O Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP, da sigla em inglês) divulgou um estudo mostrando que, com a finalização do BRT Transbrasil, o percentual da população que ganha até um salário-mínimo e mora perto de uma estação de BRT saltaria de 8,3% para 12%. São quase 120 mil pessoas de baixa renda beneficiadas.

A obra também pode ajudar a diminuir a desigualdade de opções de mobilidade para negros, pois elevaria em 60% a possibilidade de acesso de pretos e pardos a uma estação BRT. Quando considerada a população em geral, 250 mil pessoas que moram até 1 quilômetro de uma estação serão beneficiadas.

Outros estudos analisam o quadro mais abrangente de melhorias que a conclusão do BRT Transbrasil pode trazer na vida das pessoas da região. A diminuição de trânsito e acesso a viagens mais rápidas e seguras pode beneficiar até 58% dos habitantes locais. 

Também deve aumentar o acesso a oportunidades de emprego para 23% da população de baixa renda. Especialistas afirmam que os benefícios só serão completos se o BRT seguir com exclusividade de passagem até o centro da cidade e com a inauguração dos terminais Margaridas e Missões, que garantem a integração para moradores da região metropolitana.

Outro benefício do corredor BRT é diminuir a quantidade de emissões de gases nocivos à saúde devido ao emprego dos ônibus elétricos.

Fonte: Prefeitura do Rio, ITDP, Science Direct.

Este conteúdo foi útil para você?

112000cookie-checkBRT Transbrasil: entenda o projeto