Uber admite impacto do coronavírus em suas atividades

9 de março de 2020 3 mins. de leitura
As ações da companhia caíram 3%, fechando em US$ 32,85 após a declaração
A Uber reconheceu que o coronavírus representa um risco material para seus negócios. Durante a apresentação financeira anual de 2019, a empresa alertou seus investidores sobre o fato de que a utilização de seu app de mobilidade pode declinar devido a muitos fatores, incluindo “uma pandemia ou um surto de doença ou problema de saúde pública semelhante”. O Summit Mobilidade Urbana 2020 será online e gratuito. Inscreva-se! As viagens que partem de aeroportos, responsáveis por aproximadamente 15% das reservas brutas da Uber, estão entre as principais demandas em baixa. Trem que fará SP-Rio em 25 minutos pode chegar ao Brasil em 2025 Segundo a companhia, o coronavírus poderia atrapalhar também sua cadeia de ofertas de “nova mobilidade”, como bicicletas e scooters elétricas nos Estados Unidos. As ações da empresa caíram 3%, fechando em US$ 32,85 após a declaração. Ainda assim, o diretor-executivo, Dara Khosrowshahi, ponderou que o cenário não é apenas maléfico. “Certamente nosso negócio de transportes sofrerá um impacto à medida que as pessoas parem de sair de casa, enquanto o nosso negócio Eats provavelmente se beneficiará”, avaliou durante a Conferência de Tecnologia, Mídia e Telecomunicações do banco Morgan Stanley, no dia 4 de março.
(Fonte: Shutterstock)
O vírus surgiu na China no fim do ano passado. Mais de 90 mil infecções foram confirmadas em todo o mundo nos dois meses desde o início do surto. A Uber, como várias outras empresas de tecnologia, também está restringindo as viagens de funcionários à China, ao norte da Itália, ao Irã e à Coreia do Sul, por precaução. Orientações para acalmar motoristas Na tentativa de acalmar a população, empresas como Uber, Lyft e DoorDash aconselharam seus trabalhadores a limparem seus veículos de entrega com desinfetantes, lavar as mãos com frequência e ficar em casa caso se sintam mal. A DiDi, proprietária do aplicativo 99, colocou folhas de plástico nos carros entre motoristas e passageiros e criou uma página com orientações para prevenir e controlar a disseminação do Covid-19.
(Fonte: Shutterstock)
A Uber enviou aos motoristas de todo o mundo um link para um pequeno conjunto de diretrizes por meio de notificação por push no aplicativo Uber. As diretrizes seguem principalmente o básico descrito pela Organização Mundial da Saúde (OMS). As recomendações sugerem que a pessoa fique em casa se existirem sintomas de doenças respiratórias. Bogotá tem pior trânsito da América Latina; Brasil está no top 10 Sinais comuns de infecção por coronavírus incluem febre, tosse, falta de ar e dificuldades respiratórias. Em casos mais graves, a infecção pode causar pneumonia, síndrome respiratória aguda grave, insuficiência renal e até morte. Fonte: OMS, Uber, Business Insider, Reuters, The Verge, CNBC, CNET, Pymnts e 99app. Curtiu o assunto? Clique aqui e saiba mais sobre como a mobilidade pode melhorar os espaços.
Gostou? Compartilhe!