Geolocalização: entenda o que é e confira usos para esse recurso

Geolocalização: entenda o que é e confira usos para esse recurso
A ferramenta determina a posição de um aparelho eletrônico no mundo e auxilia na utilização de alguns serviços

Imagine que você está com pressa para chegar a determinado local e decide pedir um carro por um aplicativo como Uber. Uma vez confirmada a corrida, o sistema do app começa a buscar motoristas até apontar um que tenha aceitado fazer a viagem. O normal é que, em poucos minutos, você já esteja dentro do carro. O que garante, porém, que o aplicativo não enviará a sua solicitação de corrida a um motorista que esteja distante, gerando esperas muito longas?

Trata-se de algo denominado geolocalização, recurso utilizado hoje em todos os smartphones e necessário não só para aplicativos de mobilidade mas também para muitos outros serviços, como entregas, redes sociais e até mesmo jogos. É tal recurso que permite, nessa mesma viagem de Uber, determinar o local onde o usuário está e comparar essa localização com a posição do motorista, garantindo uma proximidade que permita viagens rápidas.

De modo geral, portanto, a geolocalização consiste no processo de localizar, em algum ponto do mundo, determinado aparelho eletrônico, que pode ser smartphone, computador ou qualquer outro com a tecnologia necessária para tal. Isso é possível por meio da leitura de coordenadas geográficas, considerando latitude e longitude, do local onde o aparelho em questão está.

(Fonte: Shutterstock)


Há alguns modos de fazer essa determinação, como o GPS, um dos métodos mais comuns, que considera informações fornecidas por satélites na órbita do nosso planeta. Outra possibilidade é utilizar o sinal de WiFi: nesse caso, a localização ocorre com a leitura de distância do aparelho em relação à origem do sinal, o roteador. É possível ainda usar radiofrequência, por meio da emissão de ondas de rádio ou AGPS (GPS Assistido), que leva em conta não só satélites mas também fatores como conexão de dados (3G, por exemplo).

Para que serve a geolocalização?

A utilidade de um recurso como a geolocalização vai além de auxiliar a pegar uma carona por meio de um aplicativo; na verdade, a ferramenta está mais presente no nosso dia a dia do que imaginamos.

Quando recebemos no celular uma notificação de um serviço como Google Maps, alertando sobre o trânsito de determinado trajeto, não se trata de algo aleatório, mas de uma informação repassada com base na localização atual e nos trajetos que costumamos fazer. Todas essas informações são guardadas pelo smartphone, que normalmente está conosco o tempo inteiro.

(Fonte: Shutterstock)


Veja alguns outros usos comuns da geolocalização.

Delivery

Serviços de entrega como iFood, Rappi e Uber Eats também são dependentes da geolocalização para funcionar. Não à toa, um dos requisitos para usar os aplicativos é especificar o local onde está, para que apenas restaurantes habilitados para fazer entregas, considerando determinado raio de proximidade, sejam mostrados como opções válidas. Além disso, a escolha de um entregador e a própria ida dele até o destino da encomenda dependem do sistema de localização.

Localização de aparelhos

A perda de um celular ou outro aparelho eletrônico também é algo que pode ser revertido por meio da geolocalização. Os fabricantes de celular e sistemas operacionais costumam oferecer serviços que ajudam o usuário a descobrir a última localização do aparelho, ferramenta útil também em casos de furto ou roubo.

Jogos

O entretenimento pode ser incrementado com a geolocalização, tendo em vista games que dependem da posição do jogador no mapa. O exemplo mais emblemático disso é Pokémon GO: com a tecnologia de realidade aumentada, o jogo oferece a experiência de capturar os monstrinhos clássicos do desenho e que aparecem perto do personagem de acordo com o local onde ele está.

Compartilhamento de posição

Hoje também é comum enviarmos para amigos, por aplicativos de mensagem, como WhatsApp e Telegram, a nossa localização atual, justamente para informar onde estamos e evitar preocupações ou desencontros.

Fontes: Gravitate, Techopedia, Usemobile.

Curtiu o assunto? Clique aqui e saiba mais sobre como a mobilidade pode melhorar os espaços.

Evento de Mobilidade - Evento de Mobilidade - Summit Mobilidade Estadão