Google Earth já cobre 98% do mundo e impacta diretamente na mobilidade

Google Earth já cobre 98% do mundo e impacta diretamente na mobilidade
Google Maps e Google Street View mudam a realidade de aplicativos de transporte, promovem recursos para analisar mudanças em algumas regiões e auxiliam na acessibilidade urbana

Olhar um mapa nunca mais foi a mesma coisa desde o lançamento do Google Earth, em 2005. De lá para cá, a plataforma expandiu tanto que já cobre 98% do planeta, de acordo com o seu blog oficial.  A tendência é que, com os recursos de Google Maps e Google Street View, a cobertura cresça ainda mais. A pergunta que fica é: como isso afeta a mobilidade urbana?

Enquanto o Google Earth proporciona mais de 36 milhões de quilômetros quadrados de imagens de satélite, o Street View já captou mais de 16 milhões de km, o que equivale a 400 voltas no globo terrestre.

APIs do Google e aplicativos de transporte

Aplicativos como Uber e 99 são tão presentes no cotidiano que é até difícil se lembrar de como todo mundo conseguia se virar sem eles. Além da praticidade de poder chamar um transporte pelo celular, basta digitar o endereço do lugar que o GPS guia o motorista pelo caminho de menor trânsito.

(Fonte: Shutterstock)

Essas são comodidades proporcionadas pela Google por meio de uma API (Application Programming Interface), que funciona como uma ponte entre os dois sistemas. O Google API disponibiliza o Google Maps para que aplicativos de transporte tenham recursos como tempo da viagem, localização do motorista, acompanhamento do percurso etc.

Com a popularidade desse tipo de aplicativo, os hábitos do consumidor em relação ao carro próprio também estão mudando.

Google Street View e mudanças urbanas

As imagens captadas pelo Google Street View conseguem contar muito sobre uma região. Uma pesquisa publicada por Edward L. Glaeser, da Universidade de Harvard, com os professores César A. Hidalgo e Ramesh Raskar, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), mostrou como é possível observar as mudanças das áreas urbanas pela captura de imagens da plataforma.

(Fonte: Shutterstock)

Os resultados foram obtidos por meio de um algoritmo programado para examinar as imagens da mesma forma que os humanos fariam. Foram analisadas 1,6 milhão de imagens capturadas entre 2007 e 2014 nas cidades de Boston, Nova York, Washington, Baltimore e Detroit, nos Estados Unidos.

O estudo revelou que alta densidade e alta escolaridade são importantes para melhorias urbanas e que bairros desenvolvidos tendem a evoluir ainda mais, levando as áreas do entorno pelo mesmo caminho. Os resultados mostram como o Google Street View ajuda a entender as transformações das cidades e o que afeta a mobilidade urbana. Afinal, o desenvolvimento de um bairro atrai empreendimentos e aumenta a circulação de pessoas e transportes na região.

Google Maps e acessibilidade

Sempre que se fala em mobilidade urbana, é preciso incluir a acessibilidade na discussão. Com calçadas e vias nem sempre amigáveis, a locomoção na cidade pode ser um desafio para deficientes visuais, por exemplo. Em outubro de 2019, o Google Maps anunciou uma funcionalidade que orienta o usuário por meio de instrução por voz. O aplicativo vai avisar sobre curvas e movimentação na faixa de pedestre e guiar o usuário de volta à direção correta, se for necessário. O recurso está sendo testado no Japão e ainda não chegou ao Brasil.

(Fonte: Shutterstock)

O Google Earth revolucionou os mapas por meio de capturas por satélites, assim como o Google Maps e o Street View, que coletam imagens por meio de carros especiais, mudando completamente a forma como pensamos em mobilidade.

Não é para menos que, de acordo com dados do SEMrush, o Google Maps foi o aplicativo de mobilidade mais buscado pelos brasileiros em 2019.

Fontes: Harvard News; Blog do Google

Curtiu o assunto? Clique aqui e saiba mais sobre como a mobilidade pode melhorar os espaços.

Evento de Mobilidade - Evento de Mobilidade - Summit Mobilidade Estadão