Barcelona terá linha de metrô subterrânea mais longa da Europa

7 de julho de 2020 3 mins. de leitura
Ainda em construção, a Linha 9 do metrô de Barcelona terá 47 quilômetros de extensão e 52 estações; a previsão de conclusão é para 2024

A Linha 9 do metrô de Barcelona (Espanha) promete fazer história em alguns anos. Com um projeto faraônico planejado pelo autogoverno da Catalunha e pela Ifercat, entidade de transportes ferroviários da região, a L9 terá 52 estações e 47,8 quilômetros de extensão. Assim que as obras forem concluídas, ela conquistará o posto de maior metrô subterrâneo da Europa.

Conheça o maior e mais relevante evento de mobilidade urbana do Brasil

Atualmente, o metrô opera com 24 estações nos dois extremos: 9 na seção norte, que liga a parada La Sagrega e Can Zam, e 15 na sul, que conecta a Zona Universitària ao Aeropuerto Terminal 1.

Como esteiras rolantes podem aprimorar a mobilidade urbana?

Desde a inauguração da linha, em 2009, houve grandes pausas nas obras de expansão, atrasando a finalização do projeto para 2024, de acordo com o Ministro do Território da Catalunha, Damià Calvet. Quando finalizada, a L9 passará na frente de importantes linhas europeias em tamanho, como a número 3 do Metrô de Moscou, que no momento é a maior do continente (44,3 quilômetros). A estimativa é que a Linha 9 transporte cerca de 90 milhões de passageiros por ano, segundo a Ifercat.

Malha do metrô de Barcelona. O tracejado de cor laranja indica como as duas seções da linha 9 serão ligadas.
Malha do metrô de Barcelona: o tracejado laranja indica como as duas seções da Linha 9 serão ligadas. (Fonte: Wikicommons)

Projeto interligado

Para ligar a L9 a outras linhas do metrô foi preciso cavar fundo. As perfurações realizadas para construir os túneis variam entre 30 metros e 90 metros, sendo consideradas uma das mais profundas da Catalunha, de acordo com a Via Libre.

As estações foram pensadas de forma modular, como um grande eixo cilíndrico: com um corredor superior e outro inferior, sendo ligados por elevadores de alta capacidade que podem até ser chamados de inteligentes. Desenvolvido pela thyssenkrupp, o Smart Elevator System já está presente em estações como Singuerlín, da L9, e é conectado à linha de metrô para checar o tempo de chegada e de partida de cada trem. Com informações como horário de pico e número de passageiros, o sistema consegue otimizar as operações do elevador.

Esboço de uma estação da L9, exibindo a diferença de níveis entre os dois trens. (Fonte: Pla Estratègic Metropolità de Barcelona)
Esboço de uma estação da L9, exibindo a diferença de níveis entre os dois trens. (Fonte: Pla Estratègic Metropolità de Barcelona)

As linha 9, 10 e 11 do metrô de Barcelona são as únicas automáticas na Espanha. Sem condutor, os trens circulam com programação vinda do Centro de Controle de Metro (CCM): a central localiza os trens por estações de rádio e mede a distância entre eles.

De ponta a ponta

Com operação realizada pelo Transportes Metropolitanos de Barcelona (TMB), a linha quer conectar o centro da cidade a bairros que ainda têm pouco acesso ao metrô. Outro objetivo da L9 é interligar as cidades vizinhas de Barcelona ao centro do cartão-postal, como Badalona e L’Hospitalet.

Pesquisa prevê que e-buses crescerão mais do que carros elétricos

Com alto número de viajantes em Barcelona todo ano — só em 2019, a prefeitura contabilizou 12 milhões —, a L9 também foi planejada para facilitar a vida dos turistas. A estação Aeropuerto T1 (já ativa na seção sul da linha) será essencial para transportar visitantes que desejam ir a locais fora do centro da cidade usando o metrô.

Fonte: Transportes Metropolitanos de Barcelona (TMB), Ifercat, thyssenkrupp, Pla Estratègic Metropolità de Barcelona

Curtiu o assunto? Clique aqui e saiba mais sobre como a mobilidade pode melhorar os espaços.

Gostou? Compartilhe!