Ter um carro próprio já não é a melhor opção em alguns países

27 de setembro de 2019 3 mins. de leitura
O governo holandês mantém investimentos em infraestrutura das vias e se posiciona no topo de rankings internacionais de países amigáveis para as bicicletas.

O brasileiro já entendeu que manter um carro custa caro, mas ainda não desistiu de ter essa comodidade, mesmo que precise enfrentar o trânsito diário. Especialistas apontam que, além do custo, hábitos de uso do automóvel e a infraestrutura disponível no País são importantes antes de qualquer decisão.

Conheça o maior e mais relevante evento de mobilidade do Brasil

A lista dos custos é extensa: combustível, lavagem, manutenção, reparo, revisão, estacionamento, garagem, licenciamento, IPVA, multas e seguro — sem contar as eventuais parcelas do financiamento. Mas, afinal, como saber se ter um carro próprio é a melhor opção?

Uso de aplicativos

Segundo pesquisa da plataforma Viva Real, 52% dos brasileiros afirmam ter usado aplicativos de carona pelo menos uma vez durante o último mês. Embora algumas pessoas normalmente optem por ter um carro sem medir prós e contras em uma planilha financeira, a conta precisa ser feita na ponta do lápis para saber o que realmente vale a pena.

Manter exclusivamente o uso de aplicativos pode reduzir os custos em situações específicas, como no caso de famílias que residem na mesma rua, em distâncias curtas do trabalho ou mesmo para quem só tira o carro da garagem para passeios eventuais. Nesses cenários, as despesas com manutenção, impostos, seguro e gasolina podem realmente não compensar.

Holanda à frente

Em alguns países, essa realidade já é mais clara. Não à toa, a Holanda tem um número maior de bicicletas do que de pessoas em sua extensão. E o país faz jus ao título de um dos países mais amigáveis para o transporte em duas rodas. O governo local mantém políticas e vias exclusivas para ciclistas desde 1970 e hoje oferece mais de 35 mil km de ciclovias e ciclofaixas.

As desvantagens da locomoção por carro no país são tão nítidas que parte de suas avenidas, além de sinalizadas, tem faróis em altura adaptada ao uso dos ciclistas. A ação contribui para a diminuição da emissão de poluentes e torna o tráfego mais fluido, por isso a Holanda conquistou uma considerável redução no número de acidentes de trânsito.

Quando ter um carro próprio é a melhor opção?

Os gastos com o uso de aplicativos, táxi ou carro próprio precisam ser calculados com base nos trajetos mais frequentes. O perfil do motorista e sua utilidade também precisam entrar na balança. Embora alguns proprietários assumam que os custos com a manutenção de um carro pesem no orçamento, muitos deles não abrem mão de ter um transporte particular.

Ainda que não seja possível afirmar a proporção ideal exata para os gastos com um carro dentro do controle familiar, é importante que o custo não atrapalhe outras tarefas ou se torne um peso insustentável no orçamento.

Fontes: Wired, Universidade Tecnológica de Eindhoven

Gostou? Compartilhe!