Barcelona testa sistema de ventilação contra covid-19 no metrô

4 de agosto de 2020 4 mins. de leitura
Um programa piloto de ventilação baseado em inteligência artificial no metrô deve ajudar no combate à disseminação do coronavírus

A Organização Mundial da Saúde (OMS) reconheceu, recentemente, a possibilidade de transmissão do novo coronavírus por meio do ar, por isso tecnologias de purificação associadas a sistemas de ventilação podem ser bem-vindas para reduzir a disseminação da covid-19 em meio à retomada de atividades e serviços de transporte coletivo.

Conheça o mais importante evento de mobilidade do Brasil

Foi nesse sentido que a maior operadora espanhola de transporte público, a Transports Metropolitans de Barcelona (TMB), desenvolveu um programa piloto para garantir a segurança sanitária de seus passageiros. A companhia administra oito linhas metroviárias e 156 estações do território da Catalunha.

Um sistema chamado Respira, baseado em inteligência artificial (IA), é capaz de aumentar o ar fresco dentro das instalações do sistema metroviário, além de controlar, de forma automatizada e preditiva, a umidade e a temperatura para dificultar a disseminação de microrganismos no sistema de transporte. 

Transformação digital

A introdução da tecnologia ressalta a importância da aplicação de soluções tecnológicas na mobilidade urbana. A TMB tem 25% de sua frota automatizada, incluindo metrôs e ônibus urbanos. A implantação do Respira ampliou essa transformação para um dos sistemas básicos da infraestrutura de metrô de Barcelona, segundo comunicado da companhia.

Quanto os acidentes de trânsito caíram durante a quarentena?

A solução, segundo a TMB, demonstrou as possibilidades de controle dinâmico e inteligente e ressaltou a importância do bom funcionamento dos equipamentos do sistema. A tecnologia permite a renovação do ar, enviando instruções individuais de velocidade para os ventiladores de acordo com a hora e o dia.

Inteligência artificial

Toda a ventilação é controlada por meio de um sistema automatizado. (Fonte: Transports Metropolitans Barcelona/Divulgação)

O sistema Respira é baseado em uma plataforma de IA capaz de reduzir o índice de calor de passageiros e trabalhadores do metrô, definindo vários critérios e colhendo informações em tempo real. Isso inclui temperatura, umidade e qualidade do ar interno nas estações, além de consumo de eletricidade.

Um algoritmo dinâmico interpreta os dados coletados para prever as condições ambientais nas estações de metrô, de acordo com a previsão do tempo e os níveis de ocupação esperados. A partir disso, dispara comandos para operar cada ventilador no intuito de aumentar a quantidade de ar fresco vindo do lado de fora, o que reduz o risco de espalhar microrganismos.

Dessa maneira, as viagens no metrô de Barcelona se tornarão mais confortáveis, além de mais seguras sanitariamente. Isso afeta diretamente a experiência dos passageiros, que, gradualmente, devem voltar a utilizar os serviços de transporte, mas ainda preocupados em adotar medidas de prevenção aprendidas durante a pandemia.

Programa piloto

Aos poucos, a população de Barcelona volta a se deslocar pela cidade e a utilizar os serviços de transporte público. (Fonte:  Victoria Labadie / Shutterstock)

O tráfego de pessoas em Barcelona está aumentando semana a semana e já retomou 86% dos deslocamentos. No transporte público, esse número chega a 40%. Com isso, a implantação da tecnologia de purificação e controle do ar vem sendo ampliada na cidade.

Como ficam metrôs e ônibus após a quarentena?

O sistema RESPIRA começou a ser instalado na Linha 1 do metrô de Barcelona. Durante os primeiros testes, o programa piloto foi capaz de reduzir a temperatura do sistema de transporte em 1,2 °C quando comparado a anos anteriores. O resultado motivou a TMB a ampliar a utilização da tecnologia.

A partir de julho, a purificação do ar será iniciada nas linhas de 1 a 5 do metrô, que transportam 94% dos passageiros que circulam pelo sistema metropolitano catalão. O Ministério de Transportes, Mobilidade e Agenda Urbana da Espanha acompanha de perto a execução da iniciativa para avaliar a expansão para outros locais do país.

Fonte: The Major, El Periódico, Cities Today

Curtiu o assunto? Clique aqui e saiba mais sobre como a mobilidade pode melhorar os espaços.

Gostou? Compartilhe!