Em San Francisco, quarentena faz pássaros serem ouvidos de longe

1 de dezembro de 2020 3 mins. de leitura
Mesmo cantando mais baixo por conta da queda do movimento nas ruas, pardais-de-coroa-branca passaram a ser ouvidos com mais nitidez

Com a redução da poluição sonora durante a quarentena, o canto de pássaros passou a ser mais notado em áreas urbanas. Um estudo recente mostra que na região de São Francisco, nos Estados Unidos, os sons produzidos pelo pardal-de-coroa-branca macho foram ouvidos a uma distância maior e de forma mais nítida que o habitual.

Conheça o maior e mais relevante evento de mobilidade urbana do Brasil

Elizabeth Derryberry, professora associada de Evolução Comportamental e Filogenética da Universidade do Tennessee, conduziu a pesquisa e explicou que as mudanças de hábito nas cidades chegaram a provocar uma alteração no comportamento dos passarinhos, que passaram a cantar mais baixo; ainda assim, diante da tranquilidade nas ruas, eles foram mais escutados.

Redução do tráfego

Durante a quarentena, diminuição na movimentação de pessoas em São Francisco chegou a 99%, de acordo com levantamento. (Fonte: Shutterstock)
Durante a quarentena, diminuição na movimentação de pessoas em São Francisco chegou a 99%, de acordo com levantamento. (Fonte: Shutterstock)

Um levantamento realizado pelo Laboratório Descartes analisou a movimentação das pessoas na região de São Francisco durante março. Estima-se que na segunda semana do mês as pessoas percorriam, em média, pouco menos de 3 quilômetros além da própria casa. Na semana seguinte, quando começou a quarentena, a quilometragem caiu para 1,6. Ao fim do mês, o descolamento médio diminuiu para poucos metros, reduzindo em 99% o movimento em duas semanas.

Isso se refletiu nas gravações de som. Ao compararem dados coletados em 2015 e 2016, Derryberry e seus colaboradores descobriram que o ruído de fundo nas áreas urbanas de São Francisco e Richmond diminuiu cerca de 7 decibéis. Sons intermitentes, como aviões e latidos de cães, também caíram em proporções similares.

Mudança no comportamento dos pássaros

Canto do pardal-de-coroa-branca se tornou mais atraente durante a pandemia por conta da redução da poluição sonora em São Francisco.(Fonte: Shutterstock)
Canto do pardal-de-coroa-branca se tornou mais atraente durante a pandemia por conta da redução da poluição sonora em São Francisco.(Fonte: Shutterstock)

A equipe descobriu que os pássaros passaram a cantar mais baixo, acompanhando a redução dos ruídos urbanos, por causa de um efeito conhecido como Lombard, quando um animal faz vocalizações mais altas na presença de níveis maiores de ruído e mais baixas quando há níveis menores.

Os pesquisadores ficaram surpresos ao descobrir como os pardais estavam compensando a poluição sonora. Pela redução dos decibéis do ruído urbano, era esperada diminuição de 3% no volume no canto; entretanto, eles cantaram cerca de 35% mais baixo. “Eles estão cantando ainda mais baixo do que pensávamos que iriam apenas devido ao efeito Lombard”, disse Derryberry.

A mudança, mesmo que relativamente breve, mas dramática no comportamento humano, apagou efetivamente mais de meio século de poluição sonora urbana e da diferença de sons entre áreas urbanas e rurais próximas, escreveram os estudiosos autores em seu artigo.

Fonte: Bloomberg, Wnky, Wbir, Eos, The Scientist, Abc 7 News

Já conhece o Estadão Summit Mobilidade Urbana? Saiba o que rolou na última edição do evento.

Gostou? Compartilhe!