Holanda e bicicletas: um caso de amor e respeito

3 de setembro de 2019 3 mins. de leitura
O país é referência no uso de bicicletas e apresenta ao mundo uma forma mais sustentável de transporte

O alto fluxo de automóveis tem transformado o trânsito em uma experiência nada agradável. Além de perder horas em engarrafamentos estressantes, o tráfego de carros contribui com a poluição do meio ambiente e, por consequência, afeta nossa saúde.

Conheça o mais importante evento de mobilidade urbana no Brasil

Como se não bastasse, há a ocorrência de acidentes, muitos com finais trágicos. Lutando contra essa realidade, a Holanda resolveu buscar uma solução bem prática e barata: bicicletas.

(Fonte: Pixabay)

Ativismo em pauta

Tudo começou nos anos 1980, com manifestações para reduzir o uso de automóveis, que na época eram causadores de muitas mortes, sobretudo de crianças. O impacto dessas mobilizações foi tão grande que a única forma vista pelo governo holandês para conseguir responder ao clamor da população foi fomentar o uso de bicicletas e criar uma legislação que acompanhasse essa escolha. A mudança não foi imediata, mas aos poucos o uso das bicicletas começou a se transformar em um estilo de vida no país.

Infraestrutura e educação

Outra medida importante para a viabilização das bikes foi a construção de uma infraestrutura que possibilitasse o uso desse meio de transporte e garantisse segurança ao ciclista. Hoje há uma malha de 35 mil quilômetros de ciclovias que atravessam o país e garantem maior tranquilidade para o deslocamento.

A educação foi um ponto crucial para que houvesse uma grande mudança na mentalidade da população. As crianças que outrora eram vítimas dos carros agora começam a pedalar desde cedo, e na escola básica o aluno estuda as noções de trânsito voltadas aos ciclistas.

Bicicletas na Holanda (Fonte: Pixabay/Reprodução)
(Fonte: Pixabay)

Geografia como facilitador

A geografia do país também foi um fator que ajudou muito na transição e perpetuação do ciclismo. Pelo fato de boa parte de sua formação ser plana, as ciclovias não apresentam grandes variações de altitude, tornando o ato de pedalar uma ação bem mais fácil e sem exigir um grande esforço do ciclista.

Capital das bikes

Amsterdã, a capital, é atualmente um mar de bicicletas, tendo mais da metade da população fazendo uso delas para se deslocar. Até pela facilidade em guardar, boa parte dos cidadãos tem mais de uma bicicleta, e isso impactou também na busca por lugares para estacioná-las, por isso existem vários estacionamentos subterrâneos para dar conta da demanda.

Terceira idade também usa

Por mais que haja a ideia de que pedalar é coisa para pessoas jovens que têm todo fôlego disponível e corpo em plena forma física, o país mostra que a terceira idade também aderiu à bicicleta. Grande parte dos idosos faz uso de bicicletas elétricas, continuando a participar do estilo de vida holandês.

Curtiu o assunto? Clique aqui e saiba mais sobre como a mobilidade pode melhorar os espaços.

Fonte: Ducs Amsterdam, Onmobih, El País.

Gostou? Compartilhe!