Mobilidade urbana de Medelín é referência de promoção à cidadania

8 de abril de 2020 2 mins. de leitura
Cidade deixou de ser considerada uma das mais perigosas do mundo e passou a ser exemplo em mobilidade
(Fonte: Shutterstock)

O MetroCable, financiado pelo município e pela empresa Metro de Medellín, foi parte fundamental da iniciativa de regeneração urbana reconhecida internacionalmente. O sistema de teleférico foi projetado para demonstrar a presença do Estado e a responsabilidade do Governo.

Essas mudanças reduziram o congestionamento e, atualmente, têm ajudado a reduzir o impacto causado pelas mudanças climáticas, além de diminuir as despesas das famílias e aumentar o valor da localização, assim como a qualidade dos ecossistemas naturais.

Conheça o mais importante evento de mobilidade do Brasil

O uso da tecnologia do teleférico como forma de transporte público foi visto como algo transformador e, com isso, despertou o interesse de cidades da América Latina e do mundo. No entanto, outras regiões não podem simplesmente copiar o modelo de desenvolvimento bem-sucedido de Medellín, pois devem procurar compreender o próprio contexto e as necessidades de seus cidadãos.

Medellín continua inovando

Medellín está a caminho de implementar um projeto piloto de mobilidade baseado no conceito de cidades inteligentes, usando a Internet das Coisas (IoT) e a Inteligência Artificial (IA) para gerenciar duas regiões congestionadas da cidade. O sistema conhecido como LiDAR utiliza sensores de temperatura e de pressão atmosférica para sua operação, além de uma câmera que permite a obtenção de informações sobre o ambiente para criar imagens e analisar dados em tempo real por meio de Inteligência Artificial.

As informações processadas possibilitam a identificação e diferenciação de objetos, veículos e transeuntes, ver trajetórias, bem como acelerar e prever comportamentos. O sistema é capaz de perceber acidentes, permitindo gerar soluções ao tráfego em tempo real e alertar as autoridades sobre emergências. O dispositivo também pode aprender e criar padrões de tráfego para tomar decisões de forma autônoma, por exemplo alterando o controle de semáforos.

Curtiu o assunto? Clique aqui e saiba mais sobre como a mobilidade pode melhorar os espaços.

Gostou? Compartilhe!