Morar sobre rodas: descubra como é viver em uma “tiny house”

19 de fevereiro de 2021 4 mins. de leitura
Residências são pensadas para aproveitar ao máximo o espaço disponível; modelos móveis estão em alta

Foi nos Estados Unidos que surgiu um estilo de moradia no mínimo inusitado: a tiny house. Esse tipo de casa, de até 37 metros quadrados, é construída de forma modular para oferecer o conforto básico de uma moradia convencional. Diferentemente dos trailers, as tiny houses são construídas no formato de casas, fortificadas na base e com rodas acopladas, para serem engatadas em veículos. Uma verdadeira casa sobre rodas.

Inscreva-se agora para o maior evento de mobilidade urbana do Brasil. É online e gratuito.

O preço varia entre US$ 30 mil e US$ 150 mil, dependendo dos materiais e recursos embutidos nela — valores bem mais baixos do que o necessário para se comprar uma casa no país, cujo preço inicial costuma ser de US$ 270 mil.

De acordo com a companhia de pesquisas Technavio, o mercado de tiny houses só tende a crescer nos próximos anos, devendo gerar quase US$ 6 bilhões de 2020 a 2024. 

Fatores como o fomento do trabalho remoto (e, com ela, a possibilidade de trabalhar longe do escritório físico) tornaram a aquisição de uma minicasa uma opção bem vantajosa para quem deseja morar sobre rodas.

 Por conta do espaço reduzido, as minicasas são projetadas para otimizar ao máximo o espaço disponível. (Fonte: Shutterstock)
Por conta do espaço reduzido, as minicasas são projetadas para otimizar ao máximo o espaço disponível. (Fonte: Shutterstock)

Variedades e estilos de uma casa sobre rodas

A minicasa tem um espaço similar a uma casa convencional, mas é construída de forma modular e, no caso de residências móveis, desenhada para permitir um deslocamento simplificado. Com base nessas premissas, existem minicasas criadas para atender às necessidades de moradores com diferentes estilos de vida.

Nos Estados Unidos, há residências adaptadas para quem vive em ambientes perto de florestas, com estrutura fortificada para aguentar as mudanças de temperaturas e terreno irregular. 

As minicasas também são construídas com fundação reforçada, para aguentar os deslocamentos constantes, e com uma estrutura modular mais modesta, no sentido de evitar potenciais quebras durante as idas e vindas.

Existe até o conceito de casa triciclo, na qual comodidades como uma cama e gaveta são construídas de forma a possibilitar que sejam acopladas a uma bicicleta. Claro que o número de “comodidades” é ainda mais reduzido, porém essa se mostra uma opção válida para quem deseja realizar atividades como visitar praias ou campos que estejam a uma distância não muito longa da residência oficial.

 Existem modelos de minicasa adaptados para diferentes objetivos e propósitos de moradia. (Fonte: Shutterstock)
Existem modelos de minicasa adaptados para diferentes objetivos e propósitos de moradia. (Fonte: Shutterstock)

E no Brasil?

Até por não ter uma cultura de casas móveis (como os já mencionados trailers), a aquisição de tiny houses ainda conta com uma participação bem tímida no país. Mas já existem empresas nacionais que investem nesse tipo de construção e tentam oferecer os mesmos benefícios experimentados pelos americanos que optam por morar sobre rodas: praticidade e menor custo.

Um exemplo é a Tiny Brasil, companhia que está desenvolvendo minicasas móveis e que lançou no ano passado seus primeiros modelos para compra: como o Tiny N1 Plus, que tem 25 metros quadrados e é vendido por R$ 85 mil na versão básica e por R$ 120 mil com mobília completa.

Construída em madeira, as casas sobre rodas são pensadas para abrigar até 3 pessoas e o processo de construção leva de 4 a 6 meses, dependendo do formato e dos equipamentos que serão instalados na minicasa para facilitar a vida de quem escolhe esse estilo de vida.

Fonte: Technavio.

O Estadão Summit Mobilidade urbana será online e gratuito. Inscreva-se agora!

Este conteúdo foi útil para você?

94900cookie-checkMorar sobre rodas: descubra como é viver em uma “tiny house”