Os benefícios do transporte hidroviário

8 de abril de 2020 4 mins. de leitura
Modalidade pode desempenhar um papel significativo na mobilidade urbana

O interesse renovado nas orlas das cidades e o aumento do congestionamento nos serviços de transporte terrestre proporcionam uma oportunidade para o transporte aquaviário desempenhar um papel significativo nos esquemas de mobilidade urbana.

Conheça o mais importante evento de mobilidade do Brasil

Muitos sistemas aquáticos operavam independentemente das políticas de planejamento urbano e transporte terrestre. Atualmente, os sistemas de sucesso, sejam serviços de lazer ou de passageiros, tentam projetar serviços integrados à infraestrutura urbana já existente.

Mobilidade urbana sobre água no Brasil

No Brasil, o sistema de barcas do Rio de Janeiro transporta mais de 20 milhões de passageiros por ano, segundo informações da CCR Barcas, responsável pela operação do serviço. Mas essa modalidade vem registrando queda no número de passageiros ao longo dos anos.

(Fonte: Shutterstock)

Em Salvador, pequenas embarcações fazem a ligação entre a capital e mais 15 cidades e 56 ilhas banhadas pela Baía de Todos os Santos. Entretanto, esse modal ainda é tímido considerando-se o potencial marítimo e os problemas de tráfego da capital baiana.

No Espírito Santo, Vitória deve reativar de seu sistema aquaviário neste ano, restabelecendo trajetos pelo mar até Vila Velha e Cariacica, na região metropolitana. Já São Paulo e Recife contam com projetos que podem transformar a mobilidade por meio da água, mas ainda estão longe de deixar de ser um sonho para paulistanos e recifenses.

Sistemas aquaviários urbanos no mundo

Algumas cidades com vias navegáveis estão implantando um sistema aquaviário, principalmente para descongestionar estradas construídas ao longo de vias navegáveis, como Abidjan, Lagos, Liège e Mônaco. Mas o transporte por via aquática está bem estabelecido em várias cidades, como Amsterdã, Lisboa, Estocolmo, Hamburgo, Gotemburgo, Londres, Liverpool, Nova York e Sidney.

O Instituto Real de Tecnologia da Suécia elaborou um amplo estudo sobre os principais sistemas aquaviários com transporte urbano no mundo. As cidades identificadas pela pesquisa com maior número de passageiros por ano foram Hong Kong, Istambul e Veneza.

Hong Kong, China

(Fonte: Shutterstock)

O sistema aquaviário de Hong Kong é integrado a uma extensa malha de metrô, trem, rede de ônibus com aproximadamente 30 milhões de passageiros ao ano. Os serviços de balsa representam 5% do transporte total da cidade, gerenciado pelo Departamento de Transporte do Governo e operado por 11 empresas, que realizam 18 trajetos para ilhas periféricas — a maioria delas sem outras opções de meios de locomoção. A passagem pode ser comprada pela internet, mas não oferece tarifa única para integração com outros meios de transporte público.

Istambul, Turquia

(Fonte: Shutterstock)

A cidade tem uma longa história de transporte de água no estreito Bósforo, que liga a Europa e a Ásia. Enquanto a frota existente funciona com combustíveis fósseis, a empresa responsável começou a trabalhar em um novo programa para adquirir embarcações com combustível mais limpo e converter as existentes para funcionarem com energia verde.

O verdadeiro sucesso do sistema que transporta 40 milhões de passageiros ao ano, entretanto, está na integração com outros modais, permitindo a transferência entre balsa, ônibus ou trem para concluir suas viagens.

Veneza, Itália

(Fonte: Shutterstock)‌‌

O serviço de balsa de transporte público vaporetto é operado pela ACTV, uma empresa pública. A tarifa é cobrada por bilhete único ou passes temporais, e há integração com outros modais de transporte. Existem 67 rotas servidas por 99 embarcações, que transportam 55 milhões de passageiros ao ano.

Além disso, a cidade conta com outros serviços de mobilidade na água, como o serviço de táxi aquático e gôndolas, que já foram o principal veículo da cidade, hoje utilizada principalmente pelo turismo. Embarcações conhecidas como traghetto, uma espécie de gôndola, cruzam o Grand Canal onde não existe ponte; e o serviço Alilaguna transporta pessoas entre o aeroporto e o porto de Veneza.

Gostou? Compartilhe!