Os meios de transporte mais utilizados em São Paulo

Os meios de transporte mais utilizados em São Paulo
Saiba como a população paulistana se locomove pela cidade

Dados da pesquisa "Viver em São Paulo: Mobilidade Urbana" demonstram como a população da cidade lida com o transporte. O estudo, que foi realizado pela Rede Nossa São Paulo em parceria com o Ibope Inteligência e com o apoio do MobCidades, destaca pontos como o uso dos meios de transporte e o deslocamento dentro da cidade.

Em relação ao tempo para chegar até a atividade principal (trabalho, faculdade, cursinho), mais da metade das pessoas entrevistadas (58%) gasta até 2 horas por dia em deslocamentos. Como a referida pesquisa é realizada anualmente, é possível fazer algumas comparações pertinentes.

Em relação a 2018, o tempo médio gasto em todos os deslocamentos diminuiu 18 minutos, totalizando 2 horas e 25 minutos. Em relação aos últimos 3 anos, a queda acumulada chega a 33 minutos. Além disso, é importante ressaltar que aqueles que utilizam ônibus gastam em média 2 horas e 27 minutos para chegar à sua atividade principal — 6 minutos a menos do que quem vai de carro.

Preferência nos meios de transporte

O ônibus é a opção mais utilizada pelos paulistanos (47%), enquanto o carro aparece em segundo lugar (20%). Depois está o metrô, com 12% de aderência; a locomoção a pé vem logo em seguida (6%). Na sequência estão transportes particulares como Uber, 99 e outros (5%); trens (4%); bicicletas (2%); ônibus intermunicipais (1%); e, por fim, motocicletas (1%).

Ônibus municipal

A pesquisa revelou que aproximadamente metade da população da cidade de São Paulo utiliza esse meio de transporte de uma a cinco vezes por semana. O tempo médio de espera pelos ônibus marca 21 minutos, mas algumas pessoas aguardam mais de 1 hora.

Vale ressaltar que, com o aumento da tarifa do ônibus, muitos têm deixado de fazer atividades como visitar amigos ou parentes (50%); ir a parques, cinemas e outras atividades de lazer (45%); fazer consultas médicas ou exames (40%); procurar emprego (37%); e até ir à escola ou à universidade (24%). Entre esses, os perfis que se destacam são de mulheres, pessoas autodeclaradas pardas ou negras, da classe C, com renda familiar de até 2 salários-mínimos, com Ensino Médio completo, da região leste e com 55 anos de idade ou mais.

Automóvel

Em 2019, 72% da população declararam preferir o uso de carro. É possível notar que essa utilização é maior quanto mais altas são a classe social, a renda e a escolaridade. Cerca de 8 a cada 10 usuários desse meio de transporte afirmam que poderiam deixar de usá-lo, caso "houvesse uma boa alternativa de transporte público".

Bicicleta

Entre outros fatores, pode-se destacar a falta de segurança para os ciclistas como um motivo ímpar segundo aqueles que não aderem às duas rodas (argumento de 33% das menções). Além disso, a necessidade de mais ciclovias que liguem diferentes regiões da cidade vem como uma das razões principais (18%). Subidas, ladeiras e morros se apresentam como um empecilho em 18% dos casos, assim como a falta de sinalização em alguns pontos da cidade (16%).

Curtiu o assunto? Clique aqui e saiba mais sobre como a mobilidade pode melhorar os espaços.

Fontes: Rede Nossa São Paulo, Ibope.

Evento de Mobilidade - Evento de Mobilidade - Summit Mobilidade Estadão