América Latina: Brasil é o 4º país com mais veículos elétricos

1 de março de 2021 3 mins. de leitura
Chile lidera ranking, e frota de ônibus elétricos incentiva o uso de energia limpa diminuindo poluição causada pela emissão de dióxido de carbono

Em toda a América Latina, o Chile é o país com mais veículos de transporte público movidos a energia limpa, de acordo com dados da plataforma E-Bus Radar, criada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). São 819 ônibus elétricos em circulação. 

Conheça o Summit Mobilidade Urbana e confira como foi a última edição

A lista segue com México em segundo lugar (369 veículos elétricos), Colômbia em terceiro (355), Brasil em quarto (349) e Argentina em quinto (107). Tanto os trólebus (ônibus que fazem o trecho “presos” por um cabo ligado à corrente de eletricidade) como veículos de diferentes portes movidos a bateria entram na conta da pesquisa como transportes elétricos. 

Ônibus circulando em Santiago, capital do Chile; 10% da frota utilizada no transporte público da cidade já é elétrica. (Fonte: Shutterstock)
Ônibus circulando em Santiago, capital do Chile; 10% da frota utilizada no transporte público da cidade já é elétrica. (Fonte: Shutterstock)

Impacto dos ônibus elétricos nas cidades e na saúde

O fomento de iniciativas para o uso de energias mais limpas nos veículos é visto como essencial para o cuidado com a natureza. De acordo com dados do Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA), por exemplo, o sistema de transporte de ônibus municipais da cidade de São Paulo emitiu cerca de 372 mil toneladas de dióxido de carbono em 2020. O uso de transporte elétrico impediu a emissão de 27 mil toneladas de CO2, segundo informações do E-Bus Radar. 

Vale destacar que, enquanto a cidade de São Paulo tem 237 ônibus com zero emissão de gases tóxicos (ZEB, na sigla em inglês), o montante de veículos movidos a diesel ultrapassa a marca de 14 mil, o que aponta uma grande oportunidade de diminuição de dióxido de carbono com a aplicação da frota verde.

Veículo elétrico da cidade de São Paulo. (Fonte: Shutterstock)
Veículo elétrico da cidade de São Paulo. (Fonte: Shutterstock)

Crescimento lento, mas constante

Por serem bens de alto valor, a troca de ônibus leva alguns anos para acontecer, o que contribui para a demora na incorporação de mais veículos verdes nas frotas de ônibus de transporte público existentes na América Latina. Porém, isso não quer dizer que o número de novos carros esteja parado, muito pelo contrário.

O E-Bus Radar aponta que, em 2020, 2.221 ônibus elétricos circulavam dentro da América Latina, quantidade 60% maior do que os 1.366 veículos registrados pela pesquisa durante 2019. E, com o aumento de ônibus elétricos, também cresceu a quantidade de emissões de CO2 evitadas por ano — de 153,8 mil toneladas, em 2019, para 234,7 mil, em 2020.

Fonte: E-Bus Radar, Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA).

Assine nossa newsletter com os principais debates de mobilidade urbana da atualidade.

Este conteúdo foi útil para você?

95540cookie-checkAmérica Latina: Brasil é o 4º país com mais veículos elétricos