Transportes públicos passam a ganhar telhados verdes

Transportes públicos passam a ganhar telhados verdes
O sistema de transporte coletivo também pode ser usado para aumentar as áreas verdes urbanas

Você já deve ter ouvido falar de telhados verdes, que vêm sendo cada vez mais usados em construções que buscam ser sustentáveis, ganhando espaço nas cidades. Entre os benefícios desse tipo de solução estão a redução dos gastos com energia, a diminuição do calor e da poluição do ar e, em alguns casos, até mesmo a possibilidade de cultivo de alimentos.

Políticas públicas que incentivam o desenvolvimento dos telhados verdes já foram criadas em diversos lugares do mundo. São Francisco (Estado Unidos) definiu uma política para que todos os novos prédios construídos tenham cobertura verde. Em Toronto (Canadá), desde os anos 1990 é incentivada a criação de fazendas urbanas nos telhados dos prédios. Mas Singapura decidiu ir além e está criando jardins sobre rodas.

(Fonte: Singapore Green Building Council/Divulgação)

A campanha intitulada Garden on the Move (Jardim em Movimento, em tradução livre) instalou telhados verdes em ônibus da capital de Singapura. A ideia é testar por 3 meses se a iniciativa ajuda a reduzir a temperatura interna do transporte público e, consequentemente, o consumo de combustível usado para manter o sistema de ar-condicionado funcionando.

Segundo o pesquisador Tan Chun Liang, da Universidade de Singapura, os telhados verdes usados em prédios já tiveram sua eficiência muito bem documentada, porém o efeito da cobertura em veículos ainda não é muito conhecido. Ele espera que o estudo demonstre como as cidades podem se beneficiar das plantas para combater o aquecimento global e as ilhas de calor urbano — devido ao calor gerado pelas indústrias, pelo trânsito e pelos materiais comumente utilizados nas construções.

As plantas escolhidas para o projeto são adaptadas ao clima local e resistem ao vento e à seca. São espécies que não precisam ser regadas com frequência, mas receberão cuidados uma vez por semana. O solo também é diferente: ao invés do tradicional, é utilizado um tapete mais leve e composto por um material feito com lã e rochas, o que facilita a instalação e manutenção.

(Fonte: Singapore Green Building Council/Divulgação)

Outra iniciativa interessante foi realizada em Kuala Lumpur, na Malásia. Por lá, a ideia é aproveitar espaços urbanos subutilizados para criar mais áreas verdes na cidade. Para isso, o espaço escolhido foi a cobertura dos pontos de ônibus.

A empresa responsável pelo projeto é a GWS Living Art, que também está por trás do projeto em Singapura. É esperado que, com o telhado verde, a temperatura nos pontos seja reduzida, assim como a poluição do ar. Além disso, a solução pode ajudar a evitar enchentes, já que absorve boa parte da água da chuva.

Outras cidades caminham para se tornar cada vez mais verdes. Paris, por exemplo, planeja ter mais 100 hectares de prédios verdes até 2020 e Londres quer ser a primeira National Park City, com mais da metade da área urbana verde até 2050.

No Brasil, as iniciativas verdes ainda não são comuns, mas certamente trariam inúmeros benefícios à população e ao meio ambiente.

Curtiu o assunto? Clique aqui e saiba mais sobre como a mobilidade pode melhorar os espaços.

Fontes: CNN, City Metric, The Straits Time.

Leia também:

Quais são os desafios para quem tem mobilidade reduzida?
Circular City: entenda o modelo de cidade sustentável para o futuro

Evento de Mobilidade - Evento de Mobilidade - Summit Mobilidade Estadão