Alemanha é o primeiro do mundo a regulamentar carros autônomos

23 de setembro de 2020 4 mins. de leitura
Entenda como o novo projeto de lei do país facilitará a circulação de veículos de nível 4 a partir de 2021

A Alemanha saiu na frente mais uma vez em relação à regulamentação dos veículos autônomos. Depois de ser o primeiro país a autorizar o tráfego de automóveis de nível 3 em suas vias em 2017, está se preparando agora para se tornar o primeiro do mundo a regulamentar os veículos de nível 4. 

Confira as discussões sobre o mercado dos carros autônomos. Conheça o Estadão Summit Mobilidade Urbana.

Os veículos de nível 3, segundo a Sociedade de Engenheiros Automotivos (Society of Automotive Engineers — SAE), são veículos capazes de acelerar, desacelerar, ultrapassar outros veículos e manobrar ao redor de incidentes ou congestionamentos sem intervenção humana. Mesmo assim, o condutor precisa estar atento para assumir o controle do veículo quando for necessário. 

No caso dos veículos de nível 4, que podem começar a rodar em 2021 nas vias alemãs, o sistema assume praticamente todas as funções do condutor com segurança. Durante o seu deslocamento, o motorista poderá ler um livro, adiantar tarefas de trabalho ou assistir a um filme, por exemplo. 

Empresa paranaense cria primeiro carro autônomo do Brasil

Se houver algum imprevisto, como condições climáticas adversas ou regiões não mapeadas, o veículo estacionará sozinho em um local seguro para que o condutor assuma o volante.

Nova lei

Ilustração carros autônomos nas ruas
Nova legislação alemã ainda está sendo revisada, mas a previsão é que esteja pronta até o próximo verão europeu. (Fonte: Shutterstock)

Segundo informações do portal EE News Europe, o projeto de lei alemão prevê um procedimento de homologação em duas fases. Primeiro, o fabricante de automóveis deve definir um conjunto de condições espaciais e técnicas para que seu veículo possa ser conduzido de forma autônoma. 

Se for aprovado pelo Kraftfahrtbundesamt (autoridade supervisora), o fabricante deve provar, em uma segunda etapa, que os requisitos técnicos necessários estão disponíveis. 

Uma vez que essas condições sejam atendidas, a montadora pode colocar os respectivos veículos em circulação — diferentemente da situação atual, em que é exigida uma licença especial para os veículos automatizados.

Carros autônomos podem piorar a mobilidade urbana?

Durante a fase automatizada do deslocamento, uma espécie de “supervisor técnico”, na forma de uma instância virtual na nuvem, deve monitorar a segurança da jornada. Se necessário, pode intervir em casos de problemas, embora, obviamente, não em tempo real.

Além disso, um dispositivo de armazenamento de dados deverá ser fornecido no veículo, para que sejam registrados continuamente todos os parâmetros relevantes e disponíveis para fins forenses, se necessário.

Segundo o site Automotive News Europe, a legislação ainda está sendo revisada pelo Ministério dos Transportes local e outros departamentos governamentais, mas a previsão é que esteja pronta até o próximo verão europeu.

Em produção

Ilustração carro autônomo funções
O sistema autônomo de nível 4 assume praticamente todas as funções do condutor com segurança. (Fonte: Shutterstock)

Embora as previsões sejam otimistas para o mercado dos carros inteligentes, a liberação desse tipo de veículo dependerá sempre da regulamentação de cada país. Segundo uma pesquisa do provedor de informações britânico IHS Market, carros de nível 4 podem começar a circular mais no ano que vem, embora em frotas pequenas e para uso comercial. Para uso pessoal, só em 2025. 

A falta de regras globalmente aceitas para regular os sistemas em uma configuração comercial pode atrasar o processo. Na União Europeia, a falta de leis a respeito do tema obrigou a Alemanha a criar as suas próprias para não prejudicar a produção do setor.

Enquanto isso, algumas empresas já estão testando sistemas de nível 4 em vários países. Entre elas a Jaguar, que fez uma parceria com a Waymo, para produzir o I-PACE, que deverá ser entregue ainda este ano. Google e Uber também estão no páreo, assim como a aliança da BMW com a Mercedes-Benz. 

Segundo a Sociedade de Engenheiros Automotivos (SAE), a Navistar anunciou que vai desenvolver em parceria com a TuSimple frotas de caminhões de nível 4, com produção prevista para 2024. A startup californiana planeja demonstrar operações completamente autônomas no ano que vem.

Fontes: SAE International, Jaguar, EE News Europe, The Next Web, Automotive News Europe, O Estado de São Paulo.

Conheça o mais relevante evento de mobilidade urbana do Brasil

Gostou? Compartilhe!