Evento gratuito

Como opera o transporte público de Amsterdã?

Como opera o transporte público de Amsterdã?
Bondes, metrôs e ônibus integram a rede de transporte público da capital holandesa

Quando se fala em Amsterdã, na Holanda, a bicicleta é o meio de transporte mais lembrado. Com leis que favorecem o ciclista, amplas ciclovias e boa sinalização, a cidade tem a bike como verdadeiro cartão postal, mas sua estrutura de transporte coletivo também é reconhecida no mundo todo.

Por que Luxemburgo é o primeiro país a ter transporte gratuito?

Com bondes, metrôs e ônibus rápidos e eficientes, a capital recebe milhares de turistas e atende a seus moradores, sobretudo em dias de chuva, em que o tempo não é muito propício para se deslocar sobre duas rodas, com soluções de mobilidade que ligam os quatro cantos do município e operam 24 horas. Entenda como funciona o transporte público de Amsterdã.

1. Tram

Transporte publico de Amsterdam na neve
O tram ou bonde de Amsterdã é um dos veículos mais práticos e liga a cidade com 14 estações. (Fonte: Adobe Stock)

Os bondes transitam silenciosos por uma das mais importantes cidades do mundo; rápidos e extremamente práticos, eles estão entre os principais meios de transporte da capital holandesa. O tram, como é chamado na Holanda, é um tipo de veículo que opera sob os moldes do veículo leves sobre trilhos (VLT).

6 cidades onde os pedestres são valorizados

São aproximadamente 200 bondes que ligam a cidade em 14 linhas. As mais conhecidas são as linhas 1, 2 e 5, que passam pelo Museu Histórico; as linhas 2 e 5, que chegam ao Museu Van Gogh; e a linha 1, que sai da Estação Central e segue pelo Vondelpark. A linha 9 sai da Estação Central e passa por pontos turísticos como a Praça Rembrandt, o Museu da Resistência e o Zoológico Artis. Muito acessadas por turistas, as linhas 13 e 17  também dão acesso a pontos importantes, como a Casa de Anne Frank.

Segurança dos bondes

Como esse meio de transporte circula muito próximo aos pedestres, a cidade tem buscado medidas de segurança para evitar acidentes. No ano passado, a operadora GVB convocou propostas para o fornecimento de um sistema de alerta de colisão para seus veículos. A ideia é que câmeras ou sistemas de radar emitam aviso sonoro e visual caso haja risco de colisão com um pedestre ou um objeto no caminho.

2. Ônibus

Com linhas que operam 24 horas, os ônibus de Amsterdã são muito indicados para quem se desloca à noite pela cidade. (Fonte: Shutterstock)

A grande vantagem dos ônibus de Amsterdã é a frequência, pois circulam 24 horas, diferentemente dos bondes, que funcionam apenas durante o dia. A frota é composta por 200 veículos.

Como Toronto virou referência em caminhabilidade?

O horário de funcionamento diurno é das 6h à 0h30. Depois disso, seguem operando as 12 linhas noturnas. O preço das passagens também varia, já que durante a noite o valor é mais alto.

3. Metrô

Composto por quatro linhas, o metrô é uma alternativa de transporte público para acessar regiões longe do centro da cidade. (Fonte: Tudo sobre Amsterdã/Reprodução)

Com mais de cem trens, o metrô de Amsterdã é uma boa alternativa de acesso a áreas mais distantes do centro da cidade. Quem quer visitar os principais pontos turísticos e o centro histórico do município, em geral consegue fazer tudo de ônibus ou de bonde. O metrô passa com frequência de 10 minutos e opera das 6h à 0h30.

São quatro linhas: 50: Gein — Isolatorweg; 51: Estação Central — Westwijk; 53: Estação Central — Gaasperplas; e 55: Estação Central — Gein.

Fonte: Tudo sobre Amsterdam, Via Trolebus, Ducs Amsterdam

Curtiu o assunto? Clique aqui e saiba mais sobre como a mobilidade pode melhorar os espaços.