Conheça o serviço de táxi aéreo da Uber

19 de julho de 2020 4 mins. de leitura
Uber Copter está em fase de testes desde julho de 2019 em Nova York, levando passageiros do Aeroporto JFK para Manhattan

Desde julho de 2019, passageiros que se deslocam entre o aeroporto John F. Kennedy (JFK) e a ilha de Manhattan, em Nova York, contam com o Uber Copter, o serviço de táxi aéreo da Uber. Os trajetos nos dois sentidos são realizados por helicópteros movidos a combustão em sete minutos, enquanto o percurso por rodovias demora até meia hora.

Conheça o mais importante evento de mobilidade do Brasil

Por enquanto, o serviço está em teste e deve ser utilizado de segunda-feira a sexta-feira, das 13h às 18h, desde que reservado com cinco dias de antecedência pelo mesmo aplicativo usado para chamar carros. A aeronave pode levar cinco passageiros com bagagem pessoal de até 22 quilos cada, com custo entre US$ 200 e US$ 225 por pessoa.

Uber Air, o próximo serviço

Uber pretende utilizar veículos aéreos movidos a eletricidade. (Fonte: Uber/Divulgação)
Uber pretende utilizar veículos aéreos movidos a eletricidade. (Fonte: Uber/Divulgação)

Os voos da Uber Copter são realizados em parceria com uma empresa de táxi aéreo tradicional, e não há previsão da expansão dos serviços para outras cidades. Entretanto, a gigante dos transportes está desenvolvendo uma nova tecnologia para mobilidade urbana aérea, prevista para entrar em fase de testes ainda em 2020, inclusive no Brasil.

O Uber Air utilizará aeronaves elétricas com decolagem e pouso vertical (eVTOL) para conectar cidades e subúrbios em viagens compartilhadas. O serviço deverá estar disponível a partir de 2023 em cidades como Dallas e Los Angeles (Estados Unidos) e Melbourne (Austrália).

Como o mercado de carros autônomos reage à crise da covid-19?

As aeronaves devem ter velocidade de cruzeiro, a 241 quilômetros por hora, e serão capazes de voar por três horas em viagens de 40 quilômetros, com capacidade para quatro passageiros. Além do veículo, a Uber planeja construir uma rede de heliportos chamados Skyports.

Os espaços de pouso e de decolagem deverão estar localizados em áreas urbanas densas, integrados a outros modais de transporte e podendo ser capazes de lidar com até mil aterrissagens por hora em uma área de apenas 4 mil metros quadrados.

Primeiro serviço de táxi aéreo com eVTOL

Aeronaves elétricas chinesas já são utilizadas para o turismo e para emergências médicas. (Fonte: Ehang/Divulgação)
Aeronaves elétricas chinesas já são utilizadas para turismo e emergências médicas. (Fonte: EHang/Divulgação)

Enquanto a Uber planeja expandir seus serviços de voos urbanos compartilhados, outras empresas estão correndo para oferecer os serviços pelo mundo. A EHang tem um modelo pronto para voar e já realizou mais de 2 mil testes em um veículo que dispensa o piloto e é controlado por um sistema inteligente automático.

Como diversificar opções de deslocamento? Inscreva-se para esse debate gratuito e online que integra o Summit Mobilidade Urbana.

A companhia foi a primeira a conseguir autorização da Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) para realizar testes com eVTOLs em território americano. A EHang também já fez ensaios na China, Áustria, Holanda, no Catar e nos Emirados Árabes Unidos com veículos aéreos de passageiros e de carga.

Os chineses chegaram a lançar diretrizes para a criação de um sistema de mobilidade aérea urbana e criaram a primeira rota do serviço no mundo. Os eVTOLs da EHang transportam pessoas de um porto a um hotel boutique na província de Zhejiang, na China. As aeronaves fazem em 5 minutos um trajeto que por terra demoraria 40 minutos.

Táxi aéreo por aplicativo no Brasil

Por meio do aplicativo Cabify, é possível agendar com antecedência voos de helicóptero na cidade de São Paulo desde julho de 2018. O serviço é operado pela empresa Voom, do grupo Airbus. A modalidade, batizada de Cabifly, promete ter preços abaixo do mercado de táxi aéreo, uma vez que os deslocamentos podem ser compartilhados com outros passageiros. O custo médio das viagens, anunciado no lançamento do serviço, era de R$ 460.

Fonte: Uber, Cabify, EHang

Curtiu o assunto? Clique aqui e saiba mais sobre como a mobilidade pode melhorar os espaços.

Gostou? Compartilhe!