Coreia do Sul planeja construção de cidades inteligentes na Ásia

Coreia do Sul planeja construção de cidades inteligentes na Ásia
A demanda da Associação das Nações do Sudeste Asiático deve minimizar o impacto do crescimento populacional na região

A Coreia do Sul, junto de um grupo de dez países asiáticos que integram a Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean), planeja construir cidades inteligentes e desenvolver oportunidades de negócios relacionadas a elas na Ásia. A informação é do Ministério dos Transportes de Seul.

A Asean foi criada em 1967 e hoje é formada por Indonésia, Malásia, Filipinas, Cingapura, Tailândia, Brunei, Vietnã, Mianmar, Laos e Camboja. Em parceria com a Coreia, essas nações concordaram em lançar um conselho consultivo sobre projetos de cidades inteligentes em uma reunião da Asean na cidade de Busan (Coreia do Sul) em 2019.

O acordo prevê que a Coreia do Sul possa executar projetos de cidades inteligentes no mercado da Asean e, em contrapartida, compartilhe o conhecimento para a construção dessa tecnologia.

A necessidade de cidades inteligentes

A iniciativa tem como objetivo solucionar problemas causados pela concentração da população e por inundações. Para se ter uma ideia, a urbanização cresce tão acelerada nos países da Asean que saltou de 18% (40 milhões de pessoas) na década de 1960 para 48% (310 milhões) em 2017, de acordo com a Asean.

(Fonte: Shutterstock)

A demanda proporciona um ambiente ideal para a construção de cidades inteligentes, que são caracterizadas como lugares em que as pessoas, todos os dias, convivem e desfrutam dos benefícios da tecnologia com o uso de Internet das Coisas (IoT), inteligência artificial, robôs e dados digitalizados.

As previsões para as cidades inteligentes

Devido ao aumento acelerado da urbanização, o governo sul-coreano anunciou que vai criar um fundo de US$ 1,3 bilhão (cerca de R$ 5 bilhões) para investir em projetos de infraestrutura, plantas e desenvolvimento das cidades inteligentes. Além disso, planeja investir US$ 4,57 bilhões (cerca de R$ 20 bilhões) para construir a primeira cidade inteligente no país, a Busan Eco Delta City (EDC), até 2024. No fim de 2021, o governo espera que 56 famílias se mudem para o complexo residencial. De acordo com o Ministério da Terra, Infraestrutura e Transporte, a EDC terá gerenciamento e reciclagem de água, verificação de instalações, serviços de robótica para entrega, medição de poeira fina, entre outros atributos.

Atualmente, Cingapura é a cidade mais inteligente do mundo, de acordo com o Índice de Cidades Inteligentes criado pela Universidade de Tecnologia e Design de Singapura e pelo Instituto Internacional para o Desenvolvimento em Administração da Suíça. A cidade se destacou em critérios como segurança pública, espaços verdes e oportunidades de aprendizado.

Evento de Mobilidade - Evento de Mobilidade - Summit Mobilidade Estadão