Aumento no número de blocos de rua impacta a mobilidade urbana

20 de fevereiro de 2020 4 mins. de leitura
Capitais precisam criar plano especial de mobilidade durante a festa

O Carnaval de rua parece ter conquistado o coração do brasileiro. Desde pequenos blocos até os megablocos, os números indicam que a folia nas ruas está em ascensão.

Conheça o maior e mais relevante evento de mobilidade do Brasil

Segundo a Prefeitura de São Paulo, a capital vai contar com 678 desfiles — um aumento de 38,5% em relação a 2019. A festa deve colocar na rua 15 milhões de pessoas.

No Rio de Janeiro, os números também impressionam. Só no pré-Carnaval, 270 mil pessoas curtiram as festas. De acordo com estimativas da Prefeitura, esse número é três vezes maior do que o registrado no ano passado durante o período. Para a festa oficial, a prefeitura do Rio aguarda 7 milhões de foliões, dentre os quais 2 milhões de turistas. Em Salvador, o já tradicional Carnaval com trios elétricos deve levar 3 milhões de pessoas para as ruas; e em Belo Horizonte, o público estimado é de 5 milhões.

LEDs ajudam a otimizar a mobilidade urbana no Brasil e no mundo

Com o crescimento das festas nos espaços públicos, a preocupação com mobilidade também aumenta. Para que todos possam se divertir sem acidentes, as prefeituras têm investido em esquemas especiais de planejamento. Veja algumas das iniciativas.

carnaval de rua no rio de janeiro

(Fonte: Carnaval Rio 2020/Divulgação)

São Paulo

Na capital, segundo a Prefeitura, serão desviadas 730 linhas de ônibus durante a festa. Além disso, haverá duas linhas especiais para levar o público dos desfiles das escolas de samba ao Anhembi. Para garantir a segurança de foliões e motoristas, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) terá esquema especial de interdições de vias, assim como operação dedicada àqueles que forem deixar a cidade. Informações sobre o trânsito no período podem ser consultadas no site da CET.

Rio de Janeiro

A Prefeitura do Rio de Janeiro criou um comitê especial destinado ao Carnaval. O Comitê de Operações do Carnaval (COCar) engloba diversos serviços públicos, dentre eles a mobilidade urbana. Para informar a população sobre a programação e as alterações no trânsito, a IplanRio, em parceria com a Secretaria de Envelhecimento Saudável, Qualidade de Vida e Eventos (SEMESQVE), criou o aplicativo Eventos.Rio.

Salvador

bloco de carnaval em Salavador
(Fonte: Wikimedia)

A prefeitura da capital baiana mantém o mesmo plano de mobilidade urbana desde o Carnaval de 2014. Para os foliões ou os moradores que querem se informar sobre as barreiras de trânsito, a Superintendência de Trânsito do Salvador (Transalvador) disponibiliza em um site destinado ao tema, com um mapa com as rotas a serem evitadas e as demarcações das restrições de trânsito.

Belo Horizonte

A prefeitura de Belo Horizonte também disponibiliza um site com mapas dos diversos trajetos bloqueados durante o Carnaval. Além disso, há um guia com os desvios das linhas de ônibus. Assim, tanto foliões quanto quem não participa desses eventos podem usar o transporte público com mais segurança.

Aplicativo facilita a vida do folião em São Paulo

Além do site oficial da prefeitura, foliões que vão curtir o Carnaval na capital paulista podem contar com o aplicativo Quicko. Nele, o usuário pode selecionar um bloco e receber a indicação da melhor opção para chegar até lá: metrô, ônibus, táxi ou carro de aplicativos de transporte.

Quem vai pegar a estrada também deve ficar atento

Fora das cidades a mobilidade também se complica no feriadão. Segundo a Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), nos últimos 10 anos mais de 58 mil pessoas se envolveram em acidentes de trânsito no período do Carnaval. E o consumo de álcool é um dos maiores problemas. Em 2019, 149 pessoas ficaram feridas em acidentes com condutores alcoolizados e 92 morreram.

Curtiu o assunto? Clique aqui e saiba mais sobre como a mobilidade pode melhorar os espaços.

Gostou? Compartilhe!