Summit Mobilidade

Botão do pânico no ônibus: como ele funcionará?

22 de novembro de 2023 3 mins. de leitura
Implementação do dispositivo já está em andamento, mas ainda depende de aprovação no legislativo

Já pensou se existisse um botão capaz de avisar a polícia de um assalto que está ocorrendo em um ônibus sem que o criminoso saiba? Ou que fosse sinalizada no letreiro do veículo a palavra “assalto”?

Pois saiba que isso existe e pode estar chegando à sua cidade antes do que você imagina. É o chamado botão do pânico, que já está em testes em alguns lugares do Brasil e deve ser implementado em mais cidades ainda em 2023.

A ideia ainda não estava pronta para ser divulgada ao público geral, mas um fato inusitado mudou os planos. Circulam pelas redes sociais um vídeo gravado em Cubatão, região metropolitana de Santos, que demonstra o uso do novo equipamento. 

Aparentemente, o motorista acionou sem querer o dispositivo, fazendo com que o veículo mostrasse a palavra “assalto” e uma viatura da polícia logo se aproximasse. Para conferir o vídeo, clique aqui.

Leia mais: 

Como funciona o botão do pânico?

Como o intuito de ser um pedido de socorro discreto e de fácil acesso aos motoristas e cobradores, esse botão somente deve ser usado em caso de roubos, sequestros e assaltos a um veículo em circulação.

Com um simples comando, a empresa responsável pelo transporte na cidade é acionada, fornecendo a ela a localização e a identificação do ônibus que está pedindo socorro. O letreiro do veículo, onde geralmente ficam os nomes das linhas, passam a exibir uma mensagem de alerta para o lado de fora, tornando mais fácil a identificação pela polícia.

Botão do Pânico: sem alarmes sonoros para manter a segurança dos passageiros e trabalhadores
Botão do Pânico: medida deve ser implementada em várias cidades ainda em 2023. (Fonte: Getty Images/Reprodução)

A empresa também pode acionar a polícia para oferecer informações de onde está ocorrendo o crime. Tudo isso sem expor e colocar em risco a vida dos trabalhadores e passageiros.

Por isso, é importante que o botão não emita nenhum sinal sonoro, apenas a informação.

Em nota, a São Paulo Transporte S/A (SPTrans), empresa responsável pelos testes em Cubatão, afirmou:

“Ao ser acionado, o botão enviará um alerta ao Centro de Operação da SPTrans e da empresa concessionária responsável pelo veículo, que poderão acompanhar a ocorrência e acionar o órgão de segurança necessário, como polícia e SAMU”.

Quais os próximos passos?

Outras cidades já estão em vias de colocar a medida em prática. Segundo informações, Manaus deve ser o primeiro grande município a adotar o botão do pânico, mas sua implementação ainda depende de aprovação dos vereadores e do prefeito.

A regulamentação através de uma lei municipal é o principal empecilho para que mais cidades possam colocar a ideia em prática. No Distrito Federal, por exemplo, a medida foi considerada inconstitucional.

O botão do pânico é regulamentado em território nacional através do Projeto de Lei 685/22 e já foi aprovado pelo Senado. Falta agora a aprovação na câmara dos deputados e a sanção do Presidente da República.

Fontes: Câmara, UOL,Rotas de Viagem,TJDFT

201170cookie-checkBotão do pânico no ônibus: como ele funcionará?