Delivery aumenta demanda por bicicletas elétricas

18 de junho de 2021 3 mins. de leitura
Bicicletas elétricas são uma importante ferramenta de logística e sustentabilidade para o setor de delivery em grandes cidades

O mercado de bicicletas elétricas teve um crescimento de 28,4% em 2020 quando comparado ao ano anterior, segundo relatório da Associação Brasileira do Setor de Bicicletas (Aliança Bike). A entidade atribui parte do aumento da procura à mudança do perfil de uso dos veículos, com o boom do número de trabalhadores de delivery.

As e-bikes representam uma solução operacional sustentável para que o setor de entregas possa vencer os problemas de mobilidade urbana nas grandes cidades. Sem consumir combustíveis fósseis e, portanto, sem jogar mais poluentes no ar das cidades, essas bicicletas podem ajudar a resolver o nó logístico das entregas no mesmo dia (same-day delivery) e dos trajetos de última milha.

Isso porque, em meio a um trânsito congestionado por carros e motos, as bicicletas elétricas podem trafegar por ciclovias e ciclofaixas, dando mais agilidade aos entregadores. Ao mesmo tempo, as bikes com pedal assistido por motor elétrico permitem trajetos maiores em comparação com as magrelas tradicionais, atenuando o esforço do ciclista.

Aluguel de bicicletas elétricas

Uma bicicleta elétrica pode ser alugada por plano anual com pagamento a partir de R$ 166 reais mensais. (Fonte: Silium/Reprodução)
Uma bicicleta elétrica pode ser alugada por plano anual com pagamento a partir de R$ 166 reais mensais. (Fonte: Silium/Reprodução)

O aluguel de bicicletas elétricas para delivery pode custar quase mil reais e exigir habilitação específica. No entanto, há modelos menos potentes que são mais acessíveis e não exigem licença para pedalar, além de programa de plataformas de entrega de incentivo ao veículo, que podem oferecer a locação muito mais barata.

A empresa Silium cobra R$ 166 pelo aluguel de um modelo com motor elétrico de 250 watts e autonomia de 30 quilômetros que não exige documentação para circular. O preço só vale para locações por 12 meses, e no segundo ano é cobrado metade do valor, bem como o ciclista pode optar por se tornar proprietário da e-bike. O veículo ainda pode ser entregue para qualquer região do Brasil, mediante pagamento de frete.

Outros modelos são mais potentes, como a Supercargo alugada pela d-Ebike. Essa bicicleta elétrica pode chegar a uma autonomia de até 120 km, garantida por uma bateria de lítio 922 Wh. Com potência de 350 watts, o veículo tem capacidade total de até 160 kg, incluindo o peso do ciclista, e conta com bagageiro de 70 cm.

Entretanto, essas vantagens também representam um maior custo e uma maior exigência. O aluguel da Supercago custa a partir de R$ 940 mensais, a e-bike precisa de emplacamento e o ciclista deve ter Autorização para Condução de Ciclomotores (AAC) ou Carteira Nacional de Habilitação (CNH) da categoria B.

Fonte: CNDL, Silium, Aliança Bike.

Este conteúdo foi útil para você?

106550cookie-checkDelivery aumenta demanda por bicicletas elétricas