Filtragem de ar combate coronavírus em transporte público

16 de agosto de 2020 4 mins. de leitura
Tecnologia instalada em uma companhia de ônibus no Reino Unido elimina 95% dos vírus no ar

A empresa regional de ônibus Warrington’s Own Buses, do Reino Unido, instalou dispositivos de limpeza de ar nas cabines de motorista dos 90 veículos de sua frota para combater a disseminação da covid-19. A tecnologia promete filtrar mais de 95% dos vírus transportados pelo ar, e outras partículas contaminadas, ao lançar 30 mil litros de ar limpo por hora.

Conheça o maior e mais relevante evento de mobilidade urbana do Brasil

Declarações da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre a transmissão de coronavírus pelo ar despertaram o interesse de empresas de transporte em garantir um ambiente arejado.

A AirLabs, empresa responsável pelo filtro implantado no Reino Unido, está desenvolvendo também um dispositivo capaz de criar um “espaço aéreo pessoal” para cada passageiro. A ferramenta permitiria viagens seguras em ônibus, com uma significativa redução de transmissão de doenças aéreas.

Transmissão do coronavírus pelo ar

Possibilidade de transmissão do coronavírus pelo ar coloca o sistema de transporte público em alerta. (Fonte: Shutterstock)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) reconheceu que existem novas evidências de que o novo coronavírus pode ser espalhado por pequenas partículas suspensas no ar em locais lotados, fechados ou com pouca ventilação. Se a evidência for confirmada, isso poderá afetar as diretrizes para espaços internos, como veículos de transporte público e compartilhado.

Até o momento, a entidade afirmava que o vírus era transmitido por meio de gotículas quando as pessoas tossem ou espirram. Entretanto, Benedetta Allegranzi, líder técnica da OMS para prevenção e controle de infecções, afirmou recentemente que não podem ser descartadas as evidências emergentes da transmissão aérea do coronavírus em “ambientes lotados, fechados e mal-ventilados”.

Como funciona a bolha de ar limpo

Sistema pretende criar uma bolha de ar pessoal em cada assento do transporte público. (Fonte: AirLabs/Reprodução)

O Airlabs afirma que a sua ferramenta Airbubbl remove até 95% do dióxido de nitrogênio prejudicial e das partículas em dez minutos. A redução de poluentes melhora a vida útil dos motoristas e o conforto dos passageiros. Isso pode resultar em 5% a menos de acidentes e na redução em 3,2% de dias de falta ao trabalho por saúde, aumentando a produtividade do sistema de transporte.

Como estruturas urbanas podem se tornar hospitais de campanha?

Além dessa ferramenta, a empresa está desenvolvendo uma solução chamada de AiroSafe para cabines de passageiros de serviços de transporte público, incluindo ônibus, metrô e trens. Cada assento será equipado com um dispositivo para garantir que o ar respirado pelo passageiro não seja compartilhado com outro, evitando a contaminação por diversos vírus.

Essa rede de dispositivos precisa trabalhar de forma integrada e coordenada para retirar o ar potencialmente contaminado e liberar o ar filtrado, produzindo, assim, um espaço aéreo pessoal higienizado e exclusivo para cada assento.

Usos da tecnologia

A empresa acredita que suas soluções, em conjunto com o uso de máscaras faciais, podem ajudar a aumentar o número de passageiros permitidos no transporte público e tranquilizar as pessoas em relação ao uso do transporte público novamente.

A AirLabs também está instalando dispositivos AirBubbl em 100 veículos de transporte de pacientes operados em Londres pelo serviço de transporte de saúde The HATS Group. Originalmente, o HATS planejava instalar os sistemas de filtragem de ar para proteger passageiros e tripulações da poluição do ar, mas aumentou a implantação à medida que os veículo foram reaproveitados durante a pandemia para ajudar a transportar pacientes com coronavírus.

Fonte: Cities Today, Warrington Own Buses, Airlabs, BBC.

Curtiu o assunto? Clique aqui e saiba mais sobre como a mobilidade pode melhorar os espaços.

Gostou? Compartilhe!