Metrô de São Paulo testa tecnologia contra coronavírus

28 de abril de 2020 3 mins. de leitura
Robô que emite luz ultravioleta pode eliminar 100% dos vírus nos trens em uma só aplicação

Milhares de pessoas, todos os dias, entram nos vagões do Metrô de São Paulo e dos trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

Conheça o maior e mais relevante evento de mobilidade urbana do Brasil

O contato direto com diversas superfícies dos vagões, como barras de apoio e bancos, é um dos fatores que tornam o transporte público um dos locais mais propícios para o contágio pelo novo coronavírus.

Em vista disso, a Secretaria de Transportes Metropolitanos (STM) está buscando formas de higienizar os vagões e evitar a contaminação nesses espaços. Isso inclui uma tecnologia inovadora, trazida para o Brasil pelo piloto de Fórmula 1 Lucas Di Grassi.

O projeto está sendo liderado pelo piloto Lucas Di Grassi (à esquerda)
O projeto está sendo liderado pelo piloto Lucas Di Grassi (à esquerda). (Fonte: Imprensa Alexandre Baldy/Flickr)

Trata-se de um robô que emite luz ultravioleta com capacidade de eliminar os vírus dos locais atingidos pelos raios. Quanto mais energia é empregada em uma área, mais limpa ela fica, podendo chegar a 100% de higienização. O tempo necessário para desinfectar completamente um vagão é de cerca de um minuto.

Google mostra impacto do novo coronavírus na mobilidade urbana

“Já existe a comprovação científica da eficácia desse tipo de dispositivo em outros países, e queremos trazer urgentemente essa tecnologia para o Brasil”, afirmou Di Grassi para o Estadão. Além da liderança do piloto, a iniciativa conta com a colaboração da fabricante de equipamentos agrícolas Zasso, de Indaiatuba (SP), responsável por desenvolver os primeiros protótipos do robô Hyperviolet C600 que estão sendo testados nos trens de São Paulo.

Como estão sendo feitos os testes?

A STM iniciou os testes em 15 de abril, colocando um Hyperviolet C600 para funcionar. O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), ligado ao governo de São Paulo, recolheu amostras para análise com o objetivo de comprovar a eficácia do equipamento. A secretaria publicou em sua conta no Flickr um vídeo que mostra o teste.

STM/SP está realizando testes com robô para higienização do transporte público
STM está realizando testes com robô para higienização do transporte público. (Fonte: Imprensa Alexandre Baldy/Flickr)

Caso as análises do IPT demonstrem que o vagão realmente ficou limpo após a aplicação da luz ultravioleta, os robôs serão adotados em grande escala pelo governo de São Paulo. A ideia é utilizar os equipamentos para fazer a higienização não apenas do Metrô de São Paulo e dos trens da CPTM mas também dos ônibus da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU).

Coronavírus: como motoristas de delivery devem se proteger?

Sobre o robô Hyperviolet C600, o Secretário de Transportes Metropolitanos do Governo de São Paulo, Alexandre Baldy, afirmou: “Essa é uma forma eficaz, ágil e de baixo custo que poderá dar ainda mais segurança a todos os cidadãos que precisam se deslocar”. De acordo com ele, a pasta está constantemente em busca de formas mais eficientes para higienizar o transporte público e busca fazer isso com mais frequência: “Temos contato com empresas de transporte no mundo todo, diariamente, e se for necessário vamos investir em novas soluções para que os nossos passageiros tenham cada vez mais segurança ao ir e vir”.

Fonte: Secretaria de Transportes Metropolitanos de São Paulo, Secretaria de Saúde de São Paulo, Estadão

Curtiu o assunto? Clique aqui e saiba mais sobre como a mobilidade pode melhorar os espaços.

Gostou? Compartilhe!