Robôs-táxis são a nova aposta para o transporte

Robôs-táxis são a nova aposta para o transporte
Uso de carros autônomos para fins comerciais pode influenciar fortemente a mobilidade urbana

O robô-táxi nada mais é do que uma espécie de carro autônomo; ou seja, funciona sem a necessidade de um motorista humano. E, ao contrário dos táxis comuns, a solicitação do serviço é feita por meio de um dispositivo.

Pelo fato de dispensar um motorista humano, essa tecnologia ajuda bastante a diminuir os custos operacionais dessa modalidade de serviço. Ademais, no que tange ao consumo de energia e outros recursos, eles podem representar uma melhora expressiva, uma vez que há uma maior tendência de esse tipo de serviço utilizar carros elétricos.

Muitas empresas estão começando a investir mais nessa tecnologia, pois ela permite um maior controle operacional, além da já citada redução de custos. Ainda, a oportunidade de otimizar tempo e recursos com o uso de robô-táxi é maior do que com os meios tradicionais de transporte.

O uso de robô-táxi na entrega de encomendas

Os robôs-táxis podem ser grandes aliados da empresa na entrega de encomendas no endereço do consumidor. Dado que esse processo ainda demandaria alguém para levar a mercadoria do carro até a porta do imóvel, uma potencial solução foi projetada pela Ford em parceria com a startup Agility Robotics.

(Fonte: Agility Robotics/Divulgação)

Eles desenvolveram então o Digit, um robô veloz e eficiente, com a capacidade não apenas de dialogar com o carro autônomo, mas também de andar e carregar até 18 quilos até as mãos do consumidor.

Os robôs-táxis no transporte de passageiros

O uso mais óbvio do robô-táxi é no transporte de passageiros. De fato, um exemplo disso é a empresa chinesa Didi, um aplicativo de transportes que pretende permitir que os passageiros façam suas corridas em carros autônomos e solicitem o serviço através dos smartphones.

O anúncio foi efetuado em um conferência de inteligência artificial realizada em Xangai, na China, em 2019. Apesar de o serviço ter sido aprovado a priori, ainda se trata de um projeto-piloto da Didi. O objetivo é colocar 30 modelos em operação. A empresa afirma que, na fase inicial de testes, serão utilizados os robôs-táxis e os carros com motoristas.

Outra empresa que tem apostado no uso de carros autônomos para o transporte de passageiros. A Waymo — uma das pioneiras nesse segmento —, em um programa piloto de robô-táxi no estado da Califórnia, nos Estados Unidos, transportou cerca de 6.299 passageiros em minivans da Chrysler Pacifica, de acordo com um relatório trimestral registrado por ela na Comissão de Utilidades Públicas da Califórnia.

(Fonte: Waymo/Divulgação)

Além dela, mais empresas foram autorizadas pela Comissão de Utilidades Públicas. Embora seja difícil estimar o nível da demanda por serviços de transporte autônomo, pelo que pode ser observado através dos resultados contidos no relatório da Waymo e de outras empresas, acredita-se que o serviço tem um enorme potencial para remodelar a mobilidade urbana.

Fontes: Forbes, Waymo, Tech Crunch.

Evento de Mobilidade - Evento de Mobilidade - Summit Mobilidade Estadão