Uber volta a testar carros autônomos até o fim de 2020

30 de março de 2020 3 mins. de leitura
Empresa pretende colocar os veículos em pelo menos 4 cidades da América do Norte, em retomada que acontece 2 anos depois do atropelamento que resultou na morte de uma mulher no Arizona

A Uber começou 2020 anunciando que vai retomar os testes com carros autônomos. As ruas de Washington, nos Estados Unidos, terão dados mapeados com o objetivo de iniciar os experimentos da empresa até o fim do ano. Os veículos serão equipados com câmeras e sensores capazes de construir mapas de alta definição que ajudarão no planejamento do projeto.

O Summit Mobilidade Urbana 2020 será online e gratuito. Inscreva-se!

Outras três cidades na América do Norte vêm sendo mapeadas para a continuidade da ação: Dallas, São Francisco (EUA) e Toronto (Canadá). As informações registradas serão usadas para a criação de uma pista de testes e simulações virtuais, e a empresa acredita que os carros sem motorista poderão chegar às ruas ainda em 2020.

Os experimentos fazem parte de um acordo de financiamento firmado em abril de 2019 entre a empresa do aplicativo de caronas e as multinacionais Toyota, Denso e Vision Fund, do SoftBank, que investiram cerca de US$ 1 bilhão. Essa é a primeira vez que a Uber realiza projetos do tipo desde que sua primeira empreitada terminou em tragédia. Um de seus carros supervisionados por seres humanos atropelou e matou uma mulher na cidade de Tempe, no Arizona, em março de 2018.



Quem também manifestou interesse em iniciar um projeto de carros autônomos em 2020 foi a DiDi Chuxing, concorrente da Uber e responsável pela 99 no Brasil. A chinesa anunciou no fim de 2019 que pretende lançar 30 automóveis de teste nas ruas de Xangai, atendendo a passageiros no modo “híbrido”: os veículos funcionarão em modo autônomo, porém com a supervisão de um motorista capacitado a intervir em imprevistos.

O projeto é resultado de uma parceria entre a startup chinesa e a Nvidia, fabricante de chips e processadores nos EUA. A DiDi utilizará as Unidades de Processamento Gráfico (GPUs) da norte-americana para implementar um sistema de machine learning com inteligência artificial capaz de gerir códigos para o funcionamento dos carros autônomos.

A disputa entre Uber e DiDiChuxing inicia uma “guerra” no mercado de aplicativos de carona. Neste momento, norte-americanos e chineses disputam para saber quem consegue instaurar primeiro um mercado de carros autônomos em larga escala.


Estados Unidos acordam para carros autônomos

(Fonte: Argo AI/Divulgação)



Outra companhia que decidiu investir pesado no mercado de veículos autônomos foi a Volkswagen. Em 2019, a gigante alemã do automobilismo colocou US$ 2,6 bilhões na startup Argo AI, cujo foco é a produção de carros autônomos, com a Ford como um de seus maiores investidores. A parceria entre as montadoras elevará o valor da Argo, que fornecerá os sistemas de direção autônoma para as duas empresas e fará com que diversas portas sejam abertas para a construção de uma grande produção de carros inteiramente elétricos e autônomos.

O objetivo da Ford e da Volkswagen é conseguir estabelecer um serviço de transporte sem motoristas até o fim de 2021. E a Ford se comprometeu a elaborar um veículo elétrico utilizando a tecnologia da fabricante alemã até 2023.

Esse é um mercado crescente, principalmente nos EUA, onde outras grandes empresas também têm projetos de investimento na criação de carros autônomos, como a Apple e a Waymo, da Alphabet.

Curtiu o assunto? Clique aqui e saiba mais sobre como a mobilidade pode melhorar os espaços.

Gostou? Compartilhe!