Buenos Aires: plano quer reduzir emissões pela metade até 2030

10 de julho de 2021 3 mins. de leitura
Caso todas as medidas que diminuam o efeito estufa sejam aplicadas, cidade pode atingir neutralidade de carbono em 2050

Buenos Aires, capital da Argentina, é mais uma a adotar metas ousadas em termos de sustentabilidade. Para reduzir e combater o efeito estufa, o governo local publicou um plano de medidas com o objetivo de reduzir pela metade a emissão de gases na região até 2030. São 24 ações com consequências positivas para a cidade e sua população, envolvendo setores como saúde pública, habitação e transporte.

E o relatório vai além: caso todo o planejamento seja adotado pelos cidadãos e pelas autoridades responsáveis, a capital pode atingir a neutralidade de emissões de carbono em 2050.

O cenário ideal

O governo de Buenos Aires traçou três possibilidades de cenário. No pior deles, sem adotar medidas e programas que reduzam os gases danosos ao ambiente, as emissões subirão 2% ao ano graças ao crescimento demográfico e ao aumento no consumo de energia. 

O cenário razoável é aquele com base em políticas ambientais de anos atrás, hoje consideradas insuficientes. Por fim, a meta é atingir o chamado “cenário ambicioso”, que segue os preceitos do Acordo de Paris e atende na totalidade às recomendações do relatório.

Metas mais ambiciosas envolvem aumentar espaço para pedestres e malha cicloviária.
Metas mais ambiciosas envolvem aumentar espaço para pedestres e malha cicloviária. (Fonte: Governo de Buenos Aires)

Nesse caso, em comparação com números de 2015, Buenos Aires conseguiria cortar as emissões de gases em 52,9% até 2030, chegando a 84,4% em 2050.

Seguindo o plano

De acordo com o Climate Action Plan 2050, as áreas de ação envolvem quatro grandes setores compostos por ações e metas específicas: preparar o espaço em termos de infraestrutura, priorizar formas sustentáveis de mobilidade, ser inovadora e eficiente nas missões de carbono e se tornar uma cidade ainda mais inclusiva.

O setor de transportes, por exemplo, é responsável por 30% das emissões na capital, sendo que automóveis geram quase toda essa porcentagem. Por isso, as metas envolvem ter o pedestre como foco, além de promover uma mobilidade mais sustentável que inclua veículos elétricos e expansão de vias próprias para o uso de bicicletas, por exemplo.

Todos os ônibus que circulam em Buenos Aires devem ser elétricos nos próximos 30 anos.
Todos os ônibus que circulam por Buenos Aires deverão ser elétricos nos próximos 30 anos. (Fonte: Lars Curfs/Wikimedia Commons)

Melhorias em infraestrutura também são planejadas, incluindo ampliação de parques e praças ou cobertura de árvores em ruas. O objetivo é que nenhum habitante de Buenos Aires esteja a mais de 400 metros de distância de qualquer espaço verde até 2025.

A adoção de meios alternativos de obtenção de energia foca duas frentes: eletricidade para veículos e energia solar por painéis fotovoltaicos tanto para a indústria quanto para as áreas residenciais.

Programas de educação da população a respeito de reciclagem já estão em andamento.
Programas de educação da população em reciclagem já estão em andamento. (Fonte: Governo de Buenos Aires)

Programas de reciclagem de papel e plástico também serão ampliados, além de o tratamento de lixo orgânico chegar a 80% do total coletado em 2040. Você pode ler o relatório completo em inglês no site do governo de Buenos Aires.

Fonte: Governo de Buenos Aires

Conheça o maior e mais relevante evento de mobilidade urbana do Brasil

Este conteúdo foi útil para você?

107210cookie-checkBuenos Aires: plano quer reduzir emissões pela metade até 2030