Ônibus emitiram menos poluentes em São Paulo durante a pandemia

21 de abril de 2021 3 mins. de leitura
Cidade de São Paulo registra menor emissão de poluentes em janeiro de 2021

Em janeiro de 2021, os ônibus circularam mais e emitiram menos poluentes do que no mesmo mês em anos anteriores na cidade de São Paulo. Isso é o que mostram dados do Boletim Monitor de Ônibus SP, divulgado pelo Instituto de Energia e Meio Ambiente (Iema). 

O Estadão Summit Mobilidade Urbana será online e gratuito. Inscreva-se agora!

A cidade contou com uma frota de 13.948 coletivos e um aumento de 8% na velocidade em comparação a janeiro de 2020. Segundo o boletim, uma das causas do aumento de velocidade está relacionada à pandemia. Com menos passageiros e filas para embarcar e desembarcar, os veículos ficaram menos tempo parados — aumentando a velocidade de circulação.

O boletim também reforça que, nos meses de férias escolares, os ônibus circulam mais rápido do que no restante do ano devido ao menor número de pessoas e tráfego de veículos — já que as atividades estão acontecendo de forma remota, esse fato pode não ter muita influência. 

Na frota de coletivos, 217 são movidos a energia elétrica, sendo 201 trólebus — esses são alimentados por linhas elétricas aéreas — e 16 ônibus elétricos a bateria. 

Informações sobre as emissões de gases poluentes na atmosfera também são apresentadas. Os gases de dióxido de carbono (CO2), óxidos de nitrogênio (NOx ) e material particulado (MP) tiveram uma redução na combustão de 43%, 52% e 71% respectivamente, quando comparados ao mesmo mês há cinco anos.

Para o boletim, essa queda reflete a redução na oferta de transporte, a renovação tecnológica da frota e o aumento da velocidade de circulação dos ônibus. As emissões do mês ficaram 50%, 30% e 50%, respectivamente, abaixo dos valores limites estipulados pela Política de Mudança do Clima de São Paulo para um mês. 

Nevoa, poluição e horizonte em São Paulo (Petria Chaves/CC Search)
Névoa, poluição e horizonte em São Paulo. (Petria Chaves/CC Search)

Em entrevista ao portal Mobilize Brasil, Felipe Barcellos, pesquisador do tema, relaciona os dados apresentados com os benefícios que as cidades podem ter ao adotar os corredores de ônibus. “Quando circulam com menos paradas geradas por congestionamentos, os veículos reduzem suas emissões de gases de efeito estufa e poluentes do ar”, ele disse.

Redução de poluentes aconteceram em outras cidades do mundo 

Outras cidades do mundo também tiveram menos poluição durante a pandemia. Os dados sobre a melhora da qualidade do ar chamaram a atenção de cidades da Europa, da China, do Brasil e da Índia logo no início do isolamento social — adotado por diversas cidades.

As pesquisadoras Purnamita Dasgupta e Kavitha Srikanth dizem, em seu estudo publicado na revista Science Direct, que as medidas de saúde pública adotadas por cauda da covid-19 ajudaram a dar um empurrão nas práticas mais sustentáveis. Para elas, o foco atual na saúde pública oferece uma oportunidade de se concentrar no gerenciamento da poluição do ar. 

Fonte: Science, Iema, Mobilize.

Inscreva-se para o Estadão Summit Mobilidade Urbana. É online e gratuito. 

Este conteúdo foi útil para você?

100390cookie-checkÔnibus emitiram menos poluentes em São Paulo durante a pandemia