Cidade sem carros terá 1 milhão de habitantes na Arábia Saudita

11 de abril de 2021 3 mins. de leitura
Smart city que começa a sair do papel este ano será construída do zero e preservará 95% de suas áreas naturais

Imagine viver em uma cidade onde tudo o que você precisa está bem perto, e já que não é necessário percorrer grandes distâncias, nem há espaço para carros. Resultado: um lugar calmo, saudável e sustentável. Essa é a proposta da The Line, smart city que deve sair do papel este ano na Arábia Saudita. 

Inscreva-se para o Estadão Summit Mobilidade. É online e gratuito!

Segundo a ideia levada a público pelo príncipe Mohammed bin Salman, serão 170 quilômetros livres de automóveis. Serviços essenciais poderão ser acessados a pé ou de bicicleta, em 5 minutos, e extremidades poderão ser percorridas em 20 minutos. 

3 curiosidades sobre “The Line”, cidade futurista da Arábia Saudita (Foto: Divulgação)
Em forma de linha, The Line é uma smart city pensada para deslocamentos sustentáveis. (Fonte: The Line/Divulgação)

Estruturada em linha, a The Line será feita do zero e acomodará 1 milhão de habitantes, segundo bin Salman, em comunicado oficial transmitido pela televisão no país. Sustentável, a smart city preservará 95% das áreas naturais onde está, sendo inteiramente abastecida por energia renovável. 

A The Line será erguida próximo à costa do Mar Vermelho e faz parte de uma cidade-estado, a Neom, também em construção mediante um investimento de US$ 500 bilhões. Esse grande projeto terá 26,5 mil quilômetros quadrados e será 33 vezes maior do que Nova York.

Histórico

Projetos de cidades sem carros podem esbarrar na ascensão dos veículos elétricos. (Fonte: Shutterstock)
Projetos de cidades sem carros podem esbarrar na ascensão dos veículos elétricos. (Fonte: Shutterstock)

A The Line não é exatamente uma novidade. A proposta foi divulgada pela primeira vez em 2017 como uma zona futurística centrada em energia limpa e novas estratégias de mobilidade urbana. Mas, em meio a estímulos à mobilidade ativa em todo o mundo, a proposta caiu como uma luva no atual cenário, marcado pela busca de formas sustentáveis para experienciar a cidade. 

Entre as mais recentes mostras dessa tendência, estão o projeto de Cidade de 15 minutos, estabelecido em Paris, e a Cidade de 1 minuto, na Suécia. Ambos pensados para que as pessoas encontrem tudo o que precisam a pouco tempo de suas residências. 

Um pouco mais antigas, as superquadras, de Barcelona, também têm esse foco de tornar o espaço urbano mais fluido para circulação a pé ou de bike. 

Ainda assim, a ideia de uma cidade fechada para automóveis pode esbarrar em outra onda crescente: a dos carros elétricos, também impulsionada pela sustentabilidade. 

Além disso, a Arábia Saudita pode entrar em conflito com o próprio mercado de carros a combustão, já que o país é um dos maiores exportadores de petróleo do mundo. De qualquer forma, propostas sustentáveis como essa tendem a amenizar as altas taxas de carbono, assunto que há décadas rende muitas críticas à região. O planeta agradece. 

Fonte: Archdaily, Revista Projeto.

O Estadão Summit Mobilidade será online e gratuito. Inscreva-se agora!

Este conteúdo foi útil para você?

99530cookie-checkCidade sem carros terá 1 milhão de habitantes na Arábia Saudita