3 startups que querem transformar as viagens de ônibus

16 de maio de 2022 3 mins. de leitura
Conheça startups que estão tornando as viagens de ônibus mais confortáveis e atrativas

Diferentemente do que acontece no Brasil, onde o ônibus é um dos meios de transporte mais utilizados, nos Estados Unidos e na Europa o modal é visto com desconfiança. Com a maior oferta de metrôs e veículos leves sobre trilhos (VLTs) nas cidades e a facilidade e o baixo custo das passagens de trem e avião para deslocamentos mais longos, os ônibus são frequentemente deixados de lado, mas algumas startups querem mudar essa visão.

Conheça iniciativas que querem reviver a adesão aos ônibus.

Leia também:

BRT Rosa: quais são os prós e os contras do ônibus para mulheres?

O que fazer para que as pessoas voltem a usar mais ônibus?

Conheça o novo ônibus autônomo, elétrico e gratuito de Paris

1. FlixBus

FlixBus é um serviço da companhia FlixMobility que opera rotas com destinos em 35 países, inclusive no Brasil, e combina elementos de e-commerce usando um app para facilitar reservas, cancelamentos e pagamentos de viagens.

A companhia conta com ônibus elétricos próprios, em uma estratégia de estar conectada com as tendências de diminuição da poluição das cidades. Além disso, em alguns casos, a FlixBus intermedeia o marketing e a contratação de viagens com linhas de outras companhias em seu aplicativo.

Apesar de a companhia ter se tornado um grande sucesso, ainda existem reclamações de passageiros sobre o atendimento no serviço, como ônibus que não cumprem horários e passageiros esquecidos em paradas durante as viagens.

2. The Jet

Assentos do The Jet que simulam primeira classe de um avião. (Fonte: The Jet/Divulgação)
Assentos do The Jet simulam a primeira classe de um avião. (Fonte: The Jet/Divulgação)

Se ao pensar em ônibus você visualiza um ambiente apertado, assentos desconfortáveis e muitos solavancos da estrada, vai se surpreender com o The Jet. A companhia tem a proposta de fazer uma viagem de ônibus de primeira classe com preços acessíveis.

Os ônibus contam com fileiras, assentos individuais e corredores de 1,8 metro de largura, fazendo que a experiência seja bem confortável. Os assentos são luxuosos, os veículos têm sistemas de amortecimento que diminuem a vibração durante as viagens e funcionários servem comidas e bebidas sem custo adicional. Uma viagem dessas entre Nova York e Washington, D.C. (EUA) custa US$ 99.

3. EasyMile

Modelo EZ10 autonomo da EasyMile. (Fonte: EasyMile/Divulgação)
Modelo EZ10 autônomo da EasyMile. (Fonte: EasyMile/Divulgação)

A inovação dessa startup francesa é prover ônibus autônomos em viagens curtas para até 12 passageiros. A companhia atua mundialmente fornecendo veículos para operar em empresas, campus de universidades e cidades com linhas de transporte público. Os veículos têm nível 4 de autonomia, o que significa que podem trafegar na maioria das situações de trânsito sem a necessidade de um motorista. Diferentemente das outras startups, essa oferece soluções de mobilidade urbana para viagens curtas e cotidianas.

No Brasil

No Brasil, algumas companhias de ônibus têm atuado com aplicativos para tentar concorrer com grandes empresas que dominam o setor. É o caso de Buser, de Wemobi e da recém-chegada Uber Shuttle. Essas empresas gerenciam aplicativos e terceirizam ônibus de outras organizações para realizar as viagens. Nelas é possível encontrar passagens mais baratas do que nas empresas de ônibus com linhas convencionais.

Quer saber mais? Confira aqui a opinião e a explicação de nossos parceiros especialistas em Mobilidade.

Fonte: The NextWeb, The Jet, EasyMile, Busandcoach, Destinations Internacional, Get by bus, Agência Brasil.

Este conteúdo foi útil para você?

133790cookie-check3 startups que querem transformar as viagens de ônibus