Aulas presenciais: como criar rotas seguras para crianças?

22 de outubro de 2020 3 mins. de leitura
Veja quais são os principais cuidados a serem tomados no caminho para a escola em meio à pandemia provocada pelo coronavírus

Com as primeiras notícias de controle da crise sanitária de covid-19, gestores, pais e alunos começam a se planejar para a retomada das aulas presenciais em diferentes regiões do mundo. A maioria das orientações fornecidas por organismos internacionais e governos trata de questões dentro da escola, mas o desafio para garantir a segurança dos alunos começa na rua.

Conheça o maior e mais relevante evento de mobilidade urbana do Brasil

A dificuldade para o retorno ao convívio escolar presencial é ainda maior no caso de crianças, pois boa parte delas se desloca por meio de transporte escolar, o qual normalmente gera aglomeração de pessoas. Além disso, os horários de chegada e de saída das escolas muitas vezes são os mesmos, coincidindo, inclusive, com a hora de pico do transporte público e de maior movimentação de pessoas nas ruas, o que dificulta o deslocamento a pé e de bicicleta de forma segura.

Medidas de mobilidade para retomada de aulas presenciais

Medidas de distanciamento físico devem ser tomadas no transporte coletivo escolar. (Fonte: Shutterstock)
Medidas de distanciamento físico devem ser tomadas no transporte coletivo escolar. (Fonte: Shutterstock)

Em casa, pais e responsáveis devem conversar e orientar as crianças sobre os cuidados necessários e os comportamentos adequados para garantir a segurança, como manter as mãos higienizadas e evitar o contato com o rosto.

Como se locomover com crianças durante a pandemia de coronavírus

A máscara continua sendo obrigatória tanto dentro da instituição de ensino quanto no transporte escolar e em todo o percurso de casa até o colégio. Ao se deslocar nas ruas a pé, de bicicleta ou dentro de transporte coletivo, é importante sempre manter o distanciamento físico de no mínimo 1,5 metro entre as outras pessoas.

1. Horários alternativos

Os horários de entrada e de saída das aulas devem ser alternados entre os grupos escolares e não devem coincidir com os horários de pico de movimentação da cidade, evitando aglomerações no transporte público, nas ruas e nas portas das escolas.

2. Rodízios de turmas

As escolas podem estabelecer rodízios de turmas para diminuir o trânsito de alunos. Grupos de estudantes podem ser alternados por aulas em horários parciais, em dias variados e até mesmo realizando atividades presenciais e remotas em diferentes semanas.

3. Mais espaços nas ruas

Autoridades precisam garantir mais espaços para que crianças possam ir à escola utilizando mobilidade ativa. (Fonte: Shutterstock)
Autoridades precisam garantir mais espaços para que crianças possam ir à escola utilizando mobilidade ativa. (Fonte: Shutterstock)

É recomendável, se possível, a preferência ao transporte individual de micromobilidade. Dessa forma, autoridades devem garantir mais espaços nas vias próximas às escolas para pedestres e bicicletas, uma vez que esses modais são os mais seguros para o deslocamento durante a pandemia. O fechamento temporário de vias pode fornecer mais segurança para os estudantes.

4. Transporte coletivo

Caso haja necessidade de utilizar transporte coletivo público ou privado, são necessários cuidados extras. Os veículos precisam ser higienizados, e o álcool em gel deve ser oferecido na entrada e na saída. As janelas devem ser mantidas abertas, para garantir o máximo de ventilação no interior.

Fonte: Alta Planning, Escolas Exponenciais, Instituto Votorantim, Ministério da Educação, Governo do Estado de São Paulo, King County

Gostou? Compartilhe!