Como se locomover com crianças durante a pandemia de coronavírus

11 de julho de 2020 4 mins. de leitura
Orientações ajudam a proteger crianças contra contaminação pelo novo coronavírus

Vários países começaram a reabrir as suas economias com regras claras que devem ser respeitadas para evitar uma nova onda de disseminação do coronavírus. Depois de semanas de confinamento, muitas famílias estão voltando aos poucos às ruas da Europa, da Ásia e dos Estados Unidos; com isso, as crianças também começam a se deslocar pelas cidades.

Conheça o maior e mais relevante evento de mobilidade urbana do Brasil

A mobilidade desse grupo deve ser realizada com cuidado, principalmente porque nessa faixa etária é difícil evitar toques na boca, no nariz e nos olhos, aumentando a possibilidade de contaminação. A Espanha, por exemplo, estabeleceu normas rígidas com horários, distâncias máximas e altas multas em caso de descumprimento.

O que esperar da micromobilidade no pós-pandemia?

Governos e outras entidades divulgaram orientações de como realizar deslocamentos infantis seguros durante a pandemia da covid-19. As recomendações, em parte, coincidem com leis de segurança no trânsito para pedestres.

Respeito a recomendações oficiais

Crianças também devem usar equipamentos de proteção, como máscaras. ‌‌(Fonte: Shutterstock)

O adulto é o principal modelo de comportamento das crianças; assim, para uma mobilidade infantil segura, é importante que o responsável respeite os cuidados divulgados pelas autoridades públicas tanto no que se refere a procedimentos de higiene pessoal quanto no que tange a restrições ou regras de locomoção.

Os mais velhos devem ensinar e praticar as ações corretas de prevenção, como o hábito de desinfectar as mãos, preferencialmente com água e sabão ou álcool em gel, de forma constante. Ainda que o uso de máscara não seja obrigatório em alguns locais, o equipamento de proteção individual reduz as chances de disseminação do vírus entre adultos e crianças.

Aplicativo 99 oferece corridas grátis até a Delegacia da Mulher

De preferência, a roupa deve cobrir os braços e as pernas dos pequenos. No regresso à casa, as roupas devem ser lavadas. Também é importante separar um calçado específico para as saídas para a rua, sendo recomendável que o trajeto se dê em espaços abertos e que não nenhuma superfície seja tocada. Locais fechados, como supermercado e farmácia, devem ser evitados.

Orientações a pedestres

Um cuidado especial deve ser dado às crianças, especialmente ao encontrar amigos e familiares nas ruas. Deve haver a orientação, antes de sair de casa, para manter uma distância de desconhecidos.

As regras de trânsito continuam sendo válidas e ajudam a proteger as pessoas de acidentes, já que os pedestres são as maiores vítimas no tráfego urbano. Dessa forma, não atravessar fora da faixa de segurança e respeitar os semáforos continuam sendo ações fundamentais para garantir uma mobilidade segura durante esse período.

Bicicletas e patinetes

Depois de 42 dias de confinamento, milhões de crianças podem sair às ruas da Espanha. (Fonte: Oscar Garcia Reales / Shutterstock)

Uma das principais novidades dos trajetos urbanos em tempos de pandemia de covid-19 é a maior utilização de bicicletas e patinetes. Para crianças, esses veículos podem representar uma forma de lazer, por isso esse é um ótimo momento para educá-las em relação ao uso de equipamentos de proteção, como capacete.

Covid-19: Ipea aponta importância da mobilidade no acesso à saúde

É necessário, também, informar sobre os locais permitidos para o trânsito com esses modais. Ao retornar para casa, além dos cuidados pessoais de higiene, é importante desinfectar o veículo, em especial nas áreas de contato, como guidão, acessórios de proteção e pneus.

Dentro de automóveis

Os motoristas devem redobrar o cuidado com o transporte de crianças em automóveis. O uso de máscara é recomendável, mesmo que o veículo tenha sido utilizado apenas por membros da família. A depender do tamanho e da idade dos pequenos, devem ser observados o uso obrigatório de cadeirinhas e assentos infantis.

Fonte: Fundação Mapfre, Circula Seguro, Drauzio Varela, Agência Brasil

Curtiu o assunto? Clique aqui e saiba mais sobre como a mobilidade pode melhorar os espaços.

Gostou? Compartilhe!