Summit Mobilidade

Cargo bikes podem ajudar a mobilidade no Brasil?

6 de março de 2023 5 mins. de leitura
Cargo bikes já fazem parte do cenário na Europa; será que a moda pode pegar no Brasil?

Bicicletas de carga (conhecidas como cargo bike, box bike ou carrier cycle) são uma evolução das bikes com modificações para permitir a otimização do transporte de carga. Existem os mais variados modelos, das mais diversas marcas, todos buscando a melhor forma de distribuir o peso extra.

O uso de bikes de transporte é tão disseminado que na Holanda, por exemplo, é comum ver bicicletas adaptadas para o transporte de crianças para o jardim de infância.

Bike de carga usada para o transporte de crianças na Holanda. (Fonte: WikimediaCommons/Reprodução)
Cargo bikes são usadas para transportar crianças na Holanda. (Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)

Enquanto algumas cargo bikes parecem uma evolução da bicicleta com o tradicional cestinho na frente, outras mais parecem um minicaminhão. Mesmo com as variedades, todas têm vantagens em comum que as fizeram ganhar o coração dos europeus. Como grande parte das cidades do Velho Continente tem ótima estrutura para ciclismo, as bicicletas de carga são uma opção viável para a entrega de produtos de forma barata e rápida.

Modelo de cargo bike usado em Viena na Áustria. (Fonte: WikimediaCommons/Reprodução)
Modelo de cargo bike usado em Viena, na Áustria. (Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)

A última milha

Existe uma grande preocupação do setor de logística em como aprimorar a “última milha” nas entregas. Esse termo é utilizado para descrever a distância entre o último centro de estocagem de produtos e o consumidor final. Normalmente, esse trajeto é realizado por caminhões ou vans, o que costuma encarecer o processo, já que manobrar, estacionar e enfrentar o trânsito das grandes cidades é uma tarefa cada vez mais árdua. A situação se complicou com a pandemia de covid-19 e a popularização massiva das compras online, quando, em pouco tempo, o volume de entregas de produtos se multiplicou.

Para as cidades acostumadas a conviver com as bikes, a solução dos modelos de carga não foi tão inovadora, afinal ela nada mais é do que a evolução dos veículos que entregavam cartas ou leite em outros tempos. Somadas ao esforço de muitas localidades em reduzir as emissões de carbono e não incentivar o uso de carros, as cargo bikes surgem como uma resposta natural.

E-cargo bike sendo usada em Londres. (Fonte: WikimediaCommons/Reprodução)
E-cargo bike usada em Londres, Inglaterra. (Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)

O Reino Unido tem menos tradição no uso de bicicletas do que o restante da Europa, então, para incentivar a mudança, a organização Green Alliance realizou o estudo Sharing the load: the potential of e-cargo bikes. O artigo analisa o impacto da substituição do transporte em vans por cargo bikes elétricas. Lá, as vans são a principal forma de entrega de mercadorias, havendo mais de 4,6 milhões de unidades em atividade. Substituir 7,5% dessa frota por bicicletas elétricas de carga (chamadas de e-cargo bikes) geraria redução das emissões de gases causadores de efeito estufa correspondente a todas as descargas da indústria de aviação do país.

Leia também:

Será que as bicicletas de carga vão se popularizar no Brasil?

O Brasil tem um potencial enorme para o avanço e a popularização dos serviços de bicicleta de carga. O e-commerce também ganhou espaço por aqui, e muitos trabalhadores já têm expertise em atividades de entrega com bike.

Algumas experiências se destacam, como a adoção das bicicletas de carga dos modelos Long-John (carga na parte dianteira) e Long-Tail (carga localizada na parte traseira) pelos Correios de Praia Grande (SP). Várias outras empresas oferecem os serviços em capitais e nas principais regiões metropolitanas do País, porém o estabelecimento desses serviços encontra um problema principal: a falta de investimento nas ciclovias.

Mesmo com o grande número de usuários de bikes no País, são poucas as cidades que contam com malhas cicloviárias cuidadas o suficiente para que deem segurança ao transporte de cargas com bikes. A qualificação e a expansão das ciclofaixas são fundamentais para que o serviço não fique restrito às áreas nobres ou turísticas, que costumam ter os melhores trajetos.

Também é preciso facilitar a legislação para que empresas consigam utilizar bicicletas elétricas de carga. Apesar de não serem tão não nocivos para o meio ambiente, os modelos elétricos emitem cargas muito menores de gases do efeito estufa durante o processo de fabricação e de carregamento do que carros e veículos a combustão.

Assim como as bicicletas normais, as cargo bikes precisam do incentivo do governo e da iniciativa privada para se popularizar no Brasil. A falta de infraestrutura faz que ciclistas se coloquem em situações de risco e, em muitos casos, vidas sejam ceifadas.

Se o Brasil quiser levar a sério os compromissos de redução de emissões de poluentes, precisa fazer uma grande transformação nas principais cidades. O espaço para as bicicletas não pode continuar sendo improvisado e contar com pouca manutenção. As bikes podem cumprir uma importante função na micromobilidade nas cidades, mas os cidadãos precisam se sentir seguros para adotar esse transporte.

Quer saber mais? Confira aqui a opinião e a explicação de nossos parceiros especialistas em Mobilidade.

Fonte: Green Alliance, Mobilize, Cycling Industry, Transporte Ativo, Aliança Bike

167930cookie-checkCargo bikes podem ajudar a mobilidade no Brasil?