Conheça a bike elétrica da Jeep com autonomia de 65 km

11 de janeiro de 2021 3 mins. de leitura
Veículo começou a ser vendido em março de 2020 nos Estados Unidos por US$ 5.899

A montadora de carros norte-americana Jeep e a empresa de bicicletas elétricas QuietKat fizeram uma parceria no início de 2020 que revolucionou o mercado de transportes de duas rodas. As companhias decidiram criar um modelo de mountain bike elétrica com autonomia de 65 quilômetros que passou a ser vendido em março nos Estados Unidos com preço que varia de US$ 5.899 a US$ 7.027, dependendo das customizações.

Mountain bike elétrica

E-bike da Jeep promete oferecer bom desempenho em qualquer tipo de terreno. (Fonte: Jeep/QuietKat)
E-bike da Jeep promete oferecer bom desempenho em qualquer tipo de terreno. (Fonte: Jeep/QuietKat)

Funcionando com um motor de 750 W, a mountain bike da Jeep foi projetada para andar sobre qualquer tipo de terreno, assim como os veículos off-road que são destaques da marca. Essa é uma qualidade que ambas as empresas tentaram destacar nas imagens promocionais que exibem o modelo circulando pela neve, por exemplo. A primeira aparição da criação em rede nacional ocorreu durante o Super Bowl LIV, a final do futebol americano que atrai milhões de telespectadores do mundo todo.

Além do potente motor, a bicicleta tem autonomia para andar até 65 quilômetros com uma única carga, independentemente do tipo de terreno que enfrenta, utilizando peças da mais alta tecnologia e qualidade disponíveis no mercado.

Segundo a descrição do site da empresa, a Jeep e-Bike usa suspensão QuietKat Fire-Link, freios hidráulicos de quatro pistões e pneus de 4,8 polegadas, sendo ideal para complementar as aventuras dos amantes de ciclismo. Pesando cerca de 35 quilos, a bicicleta garante aguentar uma carga de até 136 quilos.

Uso de bikes elétricas pelo mundo

Vendas de bikes elétricas subiram 85% no início da pandemia nos Estados Unidos. (Fonte: Shutterstock)
Vendas de bikes elétricas subiram 85% no início da pandemia nos Estados Unidos. (Fonte: Shutterstock)

A utilização de bicicletas elétricas em massa é uma tendência global. Nos Estados Unidos, esse meio de transporte se tornou ainda mais popular durante a pandemia do novo coronavírus, que gerou uma nova realidade. Por conta das medidas de isolamento social e dos meses de confinamento, muitos norte-americanos apostaram nos veículos de duas rodas movidos a bateria para estabelecer uma rotina de exercícios e poder usufruir de algumas horas de ar fresco.

De acordo com um levantamento feito pela empresa de pesquisa NPD Group, em março o segmento já registrava crescimento de 85% no número de vendas em comparação com o mesmo período do ano anterior. Na época, varejistas como Amazon, Walmart e Specialized esgotaram seus estoques da maioria dos modelos, e até mesmo empresas menores já tinham lista de espera para aquisição.

E-bikes na Europa

Em território europeu, as e-bikes já são vistas por autoridades públicas como uma solução para a diminuição da poluição nas grandes cidades. Em setembro de 2019, a Prefeitura de Paris lançou um programa de empréstimo de bicicletas elétricas por 40 euros mensais, ofertando até 10 mil unidades para a população. O governo parisiense também analisa a possibilidade de oferecer subsídios para os moradores que desejarem comprar algum modelo de e-bike nos próximos anos; a proposta seria cobrir até 50% do valor do produto, com limite de 500 euros.

Essa não seria uma medida pioneira na Europa, visto que Bélgica, Suécia, Escócia e Noruega já oferecem apoio financeiro similar. O governo de Portugal, por exemplo, fornece até 250 euros para quem tiver interesse em adquirir bicicletas a bateria.  

Fonte: Mobilize, QuietKat, Estadão

Já conhece o Estadão Summit Mobilidade Urbana? Saiba o que rolou na última edição do evento.

Gostou? Compartilhe!