Summit Mobilidade

Mobilidade elétrica: qual é o futuro do setor?

16 de fevereiro de 2023 4 mins. de leitura
Saiba quais são os benefícios da mobilidade elétrica e veja as previsões para o setor no Brasil

A mobilidade elétrica tem aparecido cada vez mais em discussões envolvendo temas como clima, sustentabilidade e futuro de cidades inteligentes, uma vez que a eletrificação é vista como um dos caminhos para enfrentar problemas provocados pela queima de combustíveis fósseis. No entanto, a adesão à mobilidade elétrica não é homogênea, e políticas públicas ainda caminham lentamente em alguns países.

A seguir, confira um panorama do setor.

O que é mobilidade elétrica?

(Unsplash/Reprodução)
Mobilidade elétrica engloba veículos como patinetes, bicicletas e modelos aquáticos. (Fonte: Unsplash/Reprodução)

O termo “mobilidade elétrica” é utilizado para se referir ao uso da eletricidade como fonte de energia de veículos como carros, ônibus e trens. Devido aos benefícios para as cidades e a população, como a redução da emissão de gases poluentes na atmosfera, a eletrificação tem sido amplamente defendida por especialistas.

Atualmente, existem diversas fontes de energias verdes e renováveis, como a hidroelétrica e a eólica, o que, além de contribuir para uma mobilidade mais sustentável, reduz a dependência mundial dos combustíveis fósseis, como acontece hoje.

Apesar de estarem em alta no momento, as discussões envolvendo o tema não são recentes, tendo começado há algumas décadas com a preocupação de cientistas sobre as mudanças climáticas e o esgotamento dos recursos naturais.

Além de incentivos ao setor privado, a mobilidade elétrica carece de políticas públicas dos governos locais, que devem proporcionar infraestrutura nas ruas para o recarregamento dos veículos e estimular a população a dar preferência para esses modelos.

Leia também:

Qual é o futuro da eletromobilidade no Brasil?

(Unsplash/Reprodução)
Patinetes elétricos devem se tornar ainda mais comuns no Brasil. (Fonte: Unsplash/Reprodução)

Nos últimos anos, o mercado automobilístico tem se empenhado no desenvolvimento de veículos elétricos. Marcas como Tesla, Volkswagen e Ford já têm modelos circulando em diversas cidades enquanto tentam construir baterias que proporcionem ainda mais energia para esses produtos.

Recentemente, dez grandes montadoras mundiais se uniram para impulsionar o setor, determinando que até 2030 a maior parte das próprias linhas será híbrida ou elétrica. Entre as empresas que fazem parte do acordo estão nomes como Renault, Nissan, Volvo e Honda. De olho nas potencialidades da mobilidade elétrica, a Apple também tem realizado grandes investimentos. A empresa da maçã pretende lançar um carro elétrico chamado Apple Car até 2026.

Se o setor parece estar mais avançado na Europa e nos Estados Unidos, a América Latina precisa ganhar mais atenção dos governos locais. No Brasil, a Plataforma Nacional de Mobilidade Elétrica (PNME) projeta que o crescimento nos próximos anos deve ser maior em relação a ônibus e patinetes elétricos, enquanto os veículos de passeio devem apresentar desenvolvimento mais baixo.

Um dos principais motivos para isso é a falta de incentivos do governo brasileiro na expansão de fontes renováveis, além do alto valor pelo qual os veículos elétricos são comercializados no País, o que os torna inacessíveis para a grande maioria dos consumidores.

Apesar dessas estimativas pouco contagiantes, o rumo da eletrização do transporte brasileiro ainda pode ser alterado, pois a mudança no comando da Petrobras deve aumentar a preocupação da estatal com fontes de energia renováveis. Além disso, o atual governo fez promessas a órgãos internacionais ligados ao meio ambiente, propondo-se a adotar políticas que reduzam a emissão de carbono na atmosfera e garantam a preservação da Amazônia.

Quer saber mais de mobilidade urbana? Assista aqui à opinião e à explicação de nossos parceiros especialistas sobre diversas pautas ligadas ao tema.

166720cookie-checkMobilidade elétrica: qual é o futuro do setor?