Summit Mobilidade

6 cidades que apostaram na expansão da malha cicloviária

1 de dezembro de 2023 3 mins. de leitura
O relevo plano das cidades foi aproveitado para estimular a mobilidade ativa; confira

A geografia de uma determinada área é um dos elementos que pesa bastante na forma como a cidade cresce e se organiza, fazendo com que a população tenha acesso facilitado a determinadas localidades, ou atuando de forma oposta, como uma barreira, ou oferecendo empecilhos à construção de habitações com condições mínimas de segurança.

Apesar de boa parte do território brasileiro estar situada em área relativamente plana, dada a baixa prevalência de montanhas e áreas de altitude mais elevada, há cidades que se destacam na arte de promover benefícios para a mobilidade ativa fazendo uso de suas características naturais.

Esse esforço, por exemplo, é o que tem se destacado como um elemento importante para levar um número maior de bicicletas para as ruas. A seguir, veja as 6 cidades que estão se tornando referência nesse sentido:

(Fonte: Getty Images/Reprodução)
Curitiba é uma das cidades que apostou na expansão da malha cicloviária. (Fonte: Getty Images/Reprodução)

1. Santos (SP)

Localizada no litoral paulista, a cidade de Santos é destaque no que diz respeito às ciclovias. Aproveitando-se das suas áreas planas, sobretudo na orla da praia, a cidade tem investido em interligar regiões e estimular a mobilidade ativa. Hoje, são mais de 57 km de ciclovias.

2. Curitiba (PR)

A capital do Paraná apresenta 245 km de ciclovias e ciclofaixas em uso na cidade, fazendo com que seja lembrada como um dos locais que é referência na expansão da malha cicloviária. Além disso, Curitiba apresenta o oitavo melhor valor dentre as capitais dos Estados, com média de 13,13 km de faixas para cada 100 mil habitantes.

3. São Paulo (SP)

A capital do Estado mais populoso do País costuma ser associada a muitos dos problemas mais recorrentes de mobilidade urbana; no entanto, é inegável que o ciclismo ganhou espaço nas ruas nos últimos anos. Prova disso é que São Paulo figura como a capital detentora da maior cobertura, com 689 km de ciclovias e ciclofaixas.

Leia também:

(Fonte: Getty Images/Reprodução)
Além de investir na expansão das ciclovias, Sorocaba, no interior paulista, oferece serviço gratuito de compartilhamento de bicicletas. (Fonte: Getty Images/Reprodução)

4. Fortaleza (CE)

No nordeste brasileiro, Fortaleza é referência na produção de energia eólica, solar, e também no estímulo ao ciclismo. Por lá, há 419 km de áreas destinadas ao uso de bicicletas, o que a torna muito além de um destino com belas praias. Ela ainda apresenta média de 16,15 km de ciclovias e ciclofaixas a cada 100 mil habitantes.

5. Rio de Janeiro (RJ)

Além de um famoso destino turístico, a cidade do Rio figura entre as capitais que foram bem-sucedidas na expansão das ciclofaixas e ciclovias. Ao todo, são 487 km de extensão que fomentam o uso das bikes nos mais variados pontos.

6. Sorocaba (SP)

Localizada no interior do Estado de São Paulo, Sorocaba também é lembrada quando se trata de observar como o avanço das ciclovias se deu no seu interior. Além de contar com mais de 100 km de ciclovias, a cidade oferece um sistema gratuito de empréstimo de bikes para a população.

Fonte: Prefeitura de Sorocaba, Aliança Bike, Prefeitura de Santos, Mobilize

201040cookie-check6 cidades que apostaram na expansão da malha cicloviária