Summit Mobilidade

Transporte público: relatório lista cidades com maior tempo de deslocamento

10 de agosto de 2023 4 mins. de leitura
Quatro cidades brasileiras figuram entre as que apresentam os piores índices; confira

Conheça o maior e mais relevante evento sobre o futuro da mobilidade no Brasil.

Que as cidades brasileiras sofrem com o congestionamento e falhas na oferta do transporte coletivo não é novidade, mas dimensionar como essas dinâmicas têm se apresentado nas diferentes localidades é fundamental para que soluções mais direcionadas sejam adotadas.

Pensando nisso, o aplicativo Moovit fez um levantamento do uso do transporte público em diversas cidades ao redor do mundo. E para gerar dados estatísticos, foram analisadas as viagens realizadas pelos usuários do app ao longo de 2022. Confira, agora, quais são os destaques do relatório divulgado.

(Fonte: Getty Images/Reprodução)
Dentre as cidades brasileiras, o Rio de Janeiro apresentou o maior tempo médio de deslocamento em 2022. (Fonte: Getty Images/Reprodução)

Destaques do relatório global sobre transporte público

Ao considerar o tempo médio de deslocamento em uma direção única, o que inclui o período de espera e caminhada, independentemente do meio de transporte coletivo utilizado, Istambul, na Turquia, aparece com o maior intervalo, de 77 minutos. Em seguida, temos Cidade do México, com 73 minutos, e Bogotá, na Colômbia, totalizando 71 minutos.

Rio de Janeiro, no Brasil, e Monterrey, no México, aparecem na quarta e quinta colocação, com 67 e 66 minutos, respectivamente. Outros três municípios brasileiros também figuram na lista: Recife (7º lugar, com 64 minutos), São Paulo (10º lugar, com 62 minutos) e Belo Horizonte (11º lugar, com 61 minutos) são listados.

Leia também:

(Fonte: Getty Images/Reprodução)
Em São Paulo, mais de 30% dos passageiros levam entre 1 e 2 horas para concluir a viagem no transporte público. (Fonte: Getty Images/Reprodução)

Dinâmicas nas cidades brasileiras

Em São Paulo, 33,86% dos usuários levaram entre 1 e 2 horas por viagem para se deslocar no transporte público, deixando o município na quinta posição geral desse outro indicador. Já no Rio de Janeiro, no sexto lugar quando olhamos para o tempo de deslocamento, esse cenário abarcou 32,72% dos usuários. Outras cidades brasileiras também tiveram valores expressivos, como Recife (32,71%), Curitiba (30,28%) e Belo Horizonte (30,27%). Em Brasília, 29,59% da sua população sofre com esse tipo de impacto negativo.

Entre as viagens longas, com duração superior a 2 horas por trajeto, o Rio ainda aparece como a terceira pior cidade dentre todas as avaliadas, com 11,73% dos passageiros inseridos nesse cenário. Por outro lado, a porcentagem de viagens mais curtas (com até 30 minutos) aumentou no Rio de Janeiro em relação a 2020, passando de 17,67% a 19,12%.

(Fonte: Getty Images/Reprodução)
Curitiba é a cidade brasileira apontada com o maior número médio de baldeações durante o trajeto. (Fonte: Getty Images/Reprodução)

Nesse sentido, Porto Alegre é o município brasileiro com a melhor porcentagem, alcançando 32,37% dos usuários realizando viagens de até 30 minutos de deslocamento. Na listagem de cidades onde ocorre três ou mais baldeações durante o percurso, Curitiba figura na terceira posição geral, com média de 27,78% dos passageiros, ficando apenas atrás de Paris, com 28,36% e Cidade do México, com 29,13%.

Quanto ao tempo de espera considerado de uma forma isolada, em dias úteis, Recife apresenta a média mais elevada do País, de 27 minutos. Entre as cidades brasileiras, Belo Horizonte aparece logo depois, com 24 minutos, sendo seguida por Brasília e Salvador, com 23 minutos cada uma.

O estudo ainda buscou apontar quais motivos poderiam contribuir com uma maior adoção do transporte público pela população. Maior disposição de veículos e menor tempo de espera foram destaque, aparecendo com média geral de 23,93%, enquanto o menor valor de tarifa foi escolhido por 21,57% dos entrevistados.

Fonte: Moovit

194370cookie-checkTransporte público: relatório lista cidades com maior tempo de deslocamento