4 parques lineares e como eles transformaram o cenário urbano

28 de junho de 2020 5 mins. de leitura
Os parques lineares ajudam na preservação do meio ambiente e conectam grandes cidades e a natureza

Os parques lineares têm esse nome porque formam “linhas” de áreas verdes no cenário urbano, podendo seguir o curso de rios ou córregos adjacentes. Essas áreas podem ajudar na preservação e na revitalização de cursos de água, que muitas vezes são canalizados.

Conheça o maior e mais relevante evento de mobilidade urbana do Brasil

Dessa maneira, além de serem áreas de lazer e contato com a natureza, trazem benefícios para as grandes cidades, como melhor escoamento da água da chuva (e menos inundações), melhor qualidade do ar e menos calor, incentivo à mobilidade ativa e atividades físicas, entre outros.

Por isso, há algum tempo, muitas cidades ao redor do mundo estão investindo em parques lineares — não apenas no curso de rios, mas também em outras áreas que precisam de revitalização. Além de recuperar lugares degradados, esses investimentos têm potencial de transformar o espaço urbano. Veja alguns exemplos pelo mundo.

1. Domino Park (Nova York, Estados Unidos)

Estruturas antigas no Domino Park, em Nova York (Fonte: Wikimedia Commons)
Estruturas antigas no Domino Park, em Nova York. (Fonte: Wikimedia Commons)

Nova York tem um dos parques lineares mais conhecidos do mundo, o High Line Park, que aproveitou uma antiga linha férrea para criar um parque elevado e deu uma vida nova para essa região da cidade, impulsionando o boom imobiliário.

Mas o exemplo que destacamos neste texto é outro: o Domino Park, construído em uma área de 24 mil metros quadrados, ao longo do East River, aproveitando parte da estrutura onde, décadas atrás, funcionava uma fábrica de açúcar.

3 cidades do Brasil que são modelos em sustentabilidade

Ao longo do parque, é possível ver tanques metálicos e outras estruturas preservadas, em meio às atrações, que incluem quadras para prática de esporte, playgrounds para crianças, restaurantes e outras áreas de lazer ou descanso. O mais interessante, contudo, é observar que a inauguração do Domino Park, em 2018, permitiu que os cidadãos reocupassem essa parte da orla, que não era habitada há décadas.

2. BeltLine (Atlanta, Estados Unidos)

BeltLine aproveitou linhas férreas para criar um enorme complexo de áreas verdes (Fonte: Reprodução)
BeltLine aproveitou linhas férreas para criar um enorme complexo de áreas verdes. (Fonte: Atlanta BeltLine/Facebook/Reprodução)

Mais do que um parque linear, o Beltline é um conjunto de áreas verdes e um exemplo de replanejamento urbano e aproveitamento das estruturas da cidade. O projeto aproveita mais de 35 quilômetros de vias férreas desativadas, que circulam o centro de Atlanta, para criar um enorme complexo de parques, praças, trilhas e áreas verdes, estimulando a ocupação do espaço pelas pessoas e a mobilidade ativa entre essas regiões.

Itália oferece incentivo para compra de bikes durante pandemia

Embora existam alguns questionamentos sobre a supervalorização dos imóveis, o BeltLine impactou positivamente mais de 45 bairros de Atlanta. Os primeiros parques e trilhas do BeltLine foram inaugurados em 2005, com novas obras desde então. A expectativa é de que o projeto seja concluído nos próximos anos.

3. Parque de La Família (Santiago, Chile)

Lagunas artificiais, no Parque de La Família (Fonte: Wikimedia Commons)
Lagunas artificiais, no Parque de La Família. (Fonte: Wikimedia Commons)

Esse parque linear está localizado às margens do Rio Mapocho e consistia, antes, em uma área industrial degradada. As pessoas que viviam nos arredores — a maioria de baixa renda — não podiam aproveitar a orla.

Desde a inauguração do parque, em 2015, mais de 750 mil moradores dos bairros banhados pelo rio podem aproveitar mais de 20 hectares de áreas verdes, com lagunas artificiais, espaços para prática de esportes e outras áreas para lazer, eventos culturais e sociais.

Os riquixás elétricos que mudaram a mobilidade urbana na Índia

O Parque de La Família faz parte de um plano maior, que envolve a estruturação de 42 quilômetros de ciclovias ao longo de toda a orla do Rio Mapocho, conectando vários bairros da cidade, além de um parque já existente e outro ainda em construção. Algumas partes do projeto já foram erguidas e inauguradas.

4. Parque Linear Tiquatira (São Paulo)

Parque Linear Tiquatira foi o primeiro de São Paulo (Fonte: Prefeitura de São Paulo/Reprodução)
Parque Linear Tiquatira foi o primeiro de São Paulo. (Fonte: Prefeitura de São Paulo/Reprodução)

Um exemplo do Brasil é o Parque Tiquatira, que fica na Penha, zona leste de São Paulo. Ele ocupa uma faixa de 3 quilômetros de extensão ao longo do córrego que dá nome ao parque e entre duas pistas de uma avenida que corta o bairro.

Aberto ao público em 2007, é considerado o primeiro parque linear de São Paulo e oferece diversos espaços para prática de esportes, ciclovias para deslocamento pela avenida, além de gramados que são disputados nos dias de sol.

Cidades do futuro: Singapura como exemplo de cidade inteligente

Com o sucesso dessa iniciativa, outras obras do tipo começaram a ser realizadas por toda a cidade. Segundo a prefeitura de São Paulo, existem hoje 24 parques lineares na capital paulista.

Fonte: Domino Park, AtlantaBeltLine,Inc, Mapocho 42K, Prefeitura de São Paulo.

Curtiu o assunto? Clique aqui e saiba mais sobre como a mobilidade pode melhorar os espaços.

Gostou? Compartilhe!