Como aprimorar a experiência dos usuários nas estações de trem?

1 de julho de 2020 4 mins. de leitura
Estações de trem voltam a ter importância nas cidades e podem se tornar importantes locais de convívio

Edifícios de estações de trem simbolizavam o progresso tecnológico e econômico das cidades no século 19, mas com o aumento das viagens de carro e avião, esses terminais foram perdendo importância, mas não por muito tempo.

Conheça o maior e mais relevante evento de mobilidade urbana do Brasil

Nos últimos anos, o trem se tornou uma alternativa mais ecológica e eficiente para a mobilidade urbana. Com isso, as estações voltam a ter um papel central no desenvolvimento das cidades. No mundo todo, novos terminais estão sendo criados, e os antigos remodelados para se tornarem mais atuais.

Nova York torna ruas exclusivas para pedestres durante quarentena

Nesse processo, a experiência dos passageiros é um elemento vital. As estações não só devem permitir a circulação adequada de pessoas, mas também podem se tornar eixos fundamentais para o desenvolvimento urbano e contribuir para a construção de cidades inteligentes.

Flexibilidade das estações de trem

A histórica Estação Central de Milão remodelou toda a experiência de seus passageiros com a introdução de um sistema de mobilidade por elevadores e esteiras rolantes. (Fonte: Anton_Ivanov / Shutterstock)

A principal característica que pode ajudar as estações de trem a propiciar uma melhor experiência para seus usuários é a flexibilidade de utilização de seu espaço interno e do entorno. As construções antigas podem ser remodeladas para aproveitar sua localização central nas cidades, e novos edifícios podem ser pensados para a adaptabilidade dos serviços prestados no seu interior.

Para além disso, edificações históricas podem funcionar como locais de interesse turístico ao mesmo tempo que são capazes de abrigar centros modernos de inovação e funcionar como terminais de passageiros.

Estações como vetores de mobilidade

Os terminais ferroviários devem funcionar como vetores de desenvolvimento da mobilidade urbana. As estações de trem precisam estar conectadas com outros modais de transporte da cidade, como ônibus, bicicletas e pedestres. Um sistema integrado ajuda as pessoas a deixarem seus carros para trás e propicia deslocamentos mais eficientes.

As estações podem funcionar como hubs de tráfegos locais, conectando melhor distritos e outros lugares anteriormente desarticulados a uma rede ampla de acesso à cidade. Novas linhas e estações ferroviárias podem se tornar portas de entrada para áreas subutilizadas, em um processo conhecido como desenvolvimento orientado ao transporte, gerando bairros mais dinâmicos.

Locais para permanência

A Estação de St. Pancras International em Londres abriga uma série de lojas de luxo. (Fonte: BBA Photography / Shutterstock)

Além de serem locais de passagem, as estações ferroviárias podem oferecer serviços para que as pessoas permanecem mais tempo ali, podendo funcionar de forma semelhante a um centro comercial.

Também podem funcionar nesse espaço reuniões presenciais de familiares e centros para oferecer assistência médica a idosos, além de pontos de coleta de materiais para a reutilização ou reciclagem, nas quais resíduos podem partir de forma eficiente via linhas férreas para instalações de recuperação.

3 cidades do Brasil que são modelos em sustentabilidade

Estações podem receber também, a depender de sua estrutura, eventos culturais, esportivos e de entretenimento. Dessa forma, podem se tornar importantes espaços de convívio e encontro da cidade, com o benefício de oferecer acesso integrado a diversas áreas urbanas.

Conectividade nos terminais ferroviários

As estações de trem devem assumir novas funções com o intuito de se tornarem base para novos modelos de negócio, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida aos passageiros. A evolução na infraestrutura de comunicação é imprescindível para permitir uma série de benefícios aos usuários e operadores dos terminais.

O local pode utilizar a internet para ajudar a manter os passageiros informados, conectados e entretidos com conexões wi-fi. Ao mesmo tempo, podem ser coletados dados de usuários para verificar fluxos de movimento em tempo real e a elaboração de melhores planos de deslocamento dentro dos terminais, inclusive com ações preditivas.

Como um bom desenho urbano facilita a vida do pedestre?

Os componentes da infraestrutura da estação, como escadas rolantes, esteiras e quiosques de informações, podem ser conectados à rede. Isso permite o monitoramento de maneira eficiente e proativa, para que falhas possam ser detectadas rapidamente e a manutenção agendada para horários fora de pico.

Fonte: Urban-hub, Mobilize, Arup.

Curtiu o assunto? Clique aqui e saiba mais sobre como a mobilidade pode melhorar os espaços.

Gostou? Compartilhe!