Quais são os carros automáticos mais econômicos do mercado?

1 de dezembro de 2021 6 mins. de leitura
Existem opções que oferecem economia de combustível até melhor do que suas versões com câmbio manual

Os carros automáticos costumavam ser sinônimo de maior consumo de combustível, já que o conversor de torque acabava demandando mais energia do que a embreagem comum de carros manuais. Entretanto, com o desenvolvimento das tecnologias, é possível aliar a economia ao conforto de não precisar trocar marchas. 

Em parte, isso se deve ao maior número de marchas dos câmbios automáticos modernos, geralmente seis, que permite ao motor ficar sempre em uma faixa ideal de rotação. Além disso, a evolução das centrais eletrônicas faz os automóveis saírem melhor quando fazer as trocas. Já os automóveis com câmbio continuamente variável (CVT) — em tradução livre — têm “marchas infinitas”.

A lista a seguir exemplifica alguns desses modelos que combinam economia com o conforto do câmbio automático. Não são, necessariamente, os carros mais econômicos do Brasil, mas ficam perto disso, gerando menos gastos no posto de combustível.

Leia também: Quais são os melhores carros pequenos e automáticos?

1. Toyota Yaris Sedan 1.5 CVT

Consumo: 9,0 km/l (cidade)/10,6 km/l (estrada)

Toyota Yaris Sedan é o carro automático mais econômico do Brasil. (Fonte: Toyota/Divulgação)
Toyota Yaris Sedan é o carro automático mais econômico do Brasil. (Fonte: Toyota/Divulgação)

O câmbio CVT, com suas engrenagens continuamente variáveis, privilegia o menor consumo de combustível. Isso é observado nas duas primeiras posições da lista, ocupadas por modelos Toyota com essa tecnologia. Ambos são mais econômicos do que suas versões manuais, embora o Yaris Sedan tenha um motor 1.5 de 110 cavalos. O preço dele parte de R$ 89.460.

2. Toyota Yaris Hatch 1.3 CVT

Consumo: 9,0 km/l (cidade)/9,9 km/l (estrada)

O Toyota Yaris com porta-malas menor consome pouco mais do que o sedã na estrada. (Fonte: Toyota/Divulgação)
O Toyota Yaris com porta-malas menor consome pouco mais do que o sedã na estrada. (Fonte: Toyota/Divulgação)

Com o mesmo consumo na cidade, o Toyota Yaris Hatch tem registros levemente inferiores na estrada, ficando na segunda colocação. É interessante observar que, com essa carroceria, o modelo da Toyota apresenta um motor 1.3 de 101 cavalos e preços a partir de R$ 85.790.

3. Hyundai HB20S 1.0 Turbo Auto

Consumo: 8,8 km/l (cidade)/11 km/l (estrada)

O Hyundai com motor turbo de 120 cavalos tem ótimo consumo na estrada. (Fonte: Felipe Rau/Estadão/Reprodução)
O Hyundai com motor turbo de 120 cavalos tem ótimo consumo na estrada. (Fonte: Felipe Rau/Estadão/Reprodução)

As formas arredondadas dos carros modernos oferecem melhor aerodinâmica e, com isso, menor consumo de combustível. Um bom exemplo disso é o Hyundai HB20S que consegue andar 8,8 quilômetros antes de gastar 1 litro de etanol, mesmo com câmbio automático de seis marchas e motor 1.0 turbo de 120 cavalos. Esse trem de força é disponibilizado somente nas versões top de linha do HB20S, a partir de R$ 91.390.

4. Chevrolet Onix Plus Turbo AT

Consumo: 8,6 km/l (cidade)/10,9 km/l (estrada)

Assim como Yaris e HB20, o Onix é mais econômico na versão sedã. (Imagem: Chevrolet/Divulgação)
Assim como Yaris e HB20, o Onix é mais econômico na versão sedã. (Imagem: Chevrolet/Divulgação)

O Onix Plus é outro sedã com motor turbo na lista dos carros automáticos mais econômicos do Brasil, além de conquistar o primeiro lugar no ranking dos carros mais econômicos em geral publicado anteriormente. Assim como no HB20S, o motor é um 1.0 turbo de 3 cilindros, mas com 116 cavalos. O sedã da Chevrolet é vendido a partir de R$ 68,39 mil (na versão mais básica, para PCD) ou R$ 89,59 mil (na versão comum). 

5. Hyundai HB20 Turbo Auto

Consumo: 8,6 km/l (cidade)/10,3 km/l (estrada)

A carroceria curta do HB20 tem um consumo ligeiramente maior do que o sedã. (Fonte: Hyundai/Divulgação)
A carroceria curta do HB20 tem um consumo ligeiramente maior do que o sedã. (Fonte: Hyundai/Divulgação)

Assim como seu “irmão” que tem o porta-malas maior, o Hyundai HB20 tem motor 1.0 turbo de 120 cavalos e câmbio automático de 6 marchas. Além disso, só é vendido nas versões mais caras da linha, com preços a partir de R$ 87,59 mil.

6. Honda City 1.5 CVT

Consumo: 8,5 km/l (cidade)/10,3 km/l (estrada)

Câmbio CVT também gera economia no sedã compacto Honda City. (Fonte: Honda/Divulgação)
Câmbio CVT também gera economia no sedã compacto Honda City. (Fonte: Honda/Divulgação)

O Honda City é outra amostra da economia gerada pelos câmbios continuamente variáveis, obtendo ótimas médias de consumo, mesmo com um motor 1.5 aspirado de 115 cavalos. Esse carro automático econômico é vendido em três versões, a partir de R$ 91,1 mil.

Leia também: Três dicas para dirigir um carro automático corretamente

7. Chevrolet Onix Turbo AT

Consumo: 8,3 km/l (cidade)/10,7 km/l (estrada)

Onix Hatch tem o mesmo motor 1.0 turbo de 116 cavalos da versão sedã. (Fonte: Chevrolet/Divulgação)
Onix Hatch tem o mesmo motor 1.0 turbo de 116 cavalos da versão sedã. (Fonte: Chevrolet/Divulgação)

O Onix perdeu apenas para sua versão sedã entre os carros mais econômicos do Brasil, com câmbio manual, mas ainda permanece no top dez com transmissão automática. Assim como o Onix Plus, o Hatch tem versão básica para PCDs (R$ 68,39 mil), com preços a partir de R$ 84 mil para a versão automática comum. 

8. Honda Fit 1.5 CVT

Consumo: 8,3 km/l (cidade)/9,9 km/l (estrada)

O Honda Fit oferece economia de combustível, mesmo com bastante espaço interno. (Fonte: Honda/Divulgação)
O Honda Fit oferece economia de combustível, mesmo com bastante espaço interno. (Fonte: Honda/Divulgação)

Com o mesmo conjunto mecânico do City, motor 1.5 de 115 cavalos e câmbio CVT, o Honda Fit se diferencia pelo espaço interno de minivan, que é maior. Porém, seu consumo é um pouco maior do que o outro produto da mesma fabricante. O modelo custa a partir de R$ 90,3 mil.

9. Chevrolet Tracker 1.0 Turbo

Consumo: 8,2 km/l (cidade)/9,6 km/l (estrada)

Chevrolet Tracker é o SUV não híbrido mais econômico do Brasil. (Imagem: Chevrolet/Divulgação)
Chevrolet Tracker é o SUV não híbrido mais econômico do Brasil. (Imagem: Chevrolet/Divulgação)

Com preços a partir de R$ 110 mil, o Chevrolet Tracker é o Sport Utility Vehicle (SUV) mais econômico do Brasil, desconsiderando as opções com motorização híbrida, que são muito mais caras. Parte desse bom índice pode ser atribuído ao motor 1.0 de 116 cavalos, o mesmo do Onix e Onix Plus, mesmo que a carroceria SUV diminua a eficiência aerodinâmica. 

Leia também: Quais são os carros automáticos mais baratos do Brasil?

10. Volkswagen Polo 1.0 TSI

Consumo: 8,0 km/l (cidade)/9,8 km/l (estrada)

O Polo tem motor 1.0 turbo de até 128 cavalos no etanol. (Fonte: Volkswagen/Divulgação)
O Polo tem motor 1.0 turbo de até 128 cavalos no etanol. (Fonte: Volkswagen/Divulgação)

Fechando a lista com mais um carro automático de motor turbo, o 1.0 do Volkswagen Polo rende até 128 cavalos com etanol, oferecendo um bom desempenho com sua caixa de seis marchas. Esse conjunto mecânico está disponível nas versões mais equipadas do modelo, com preços a partir de R$ 96,89 mil. 

Por fim, é importante especificar que todos os carros automáticos desta lista têm motor flex e apresentam dados de consumo referentes ao uso de etanol. Com gasolina, todos os carros tendem a perder um pouco de potência, mas oferecer uma economia ligeiramente melhor.

Fonte: Jornal do Carro/Estadão.

Este conteúdo foi útil para você?

118902cookie-checkQuais são os carros automáticos mais econômicos do mercado?