Summit Mobilidade

Scania apresenta modelo X-Gás

7 de agosto de 2023 5 mins. de leitura
Nova opção de caminhão movido a gás oferece maior autonomia e capacidade de transporte de carga

O Momento Mobilidade do Estadão contou com a participação de Paulo Genezini, gerente de sustentabilidade da Scania, que atua em operações comerciais do Brasil, para falar sobre uma novidade que pode revolucionar o transporte de cargas: o caminhão a gás. A continuidade da evolução dos modelos podem significar um meio de reduzir os impactos ambientais causados pelo transporte rodoviário no País. Confira a entrevista completa aqui.

Potenciais e desafios no cenário brasileiro

O Brasil possui vantagem em relação à parte dos países desenvolvidos quando o assunto é transição energética: a maior parte da energia elétrica brasileira provém de fontes renováveis. Segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), a energia gerada por usinas hidrelétricas representaram 73,6% da matriz energética do País em 2022. Apesar do potencial para a energia limpa, o Brasil ainda é refém de uma logística extremamente poluente, já que a maioria das cargas e dos passageiros são transportados pelo modal rodoviário, que em sua maioria é dependente do diesel.

Um estudo da Fundação Dom Cabral mostrou que cerca de 75% da produção brasileira são transportados pelas estradas do País, e a maioria em caminhões movidos a diesel. Enquanto a indústria automobilística mundial caminha em direção à eletrificação do setor, o Brasil ainda sofre com uma frota antiga e altamente poluente.

Para combater esta realidade, a Scania apresentou um novo projeto em território nacional: o Scania X-Gás. O caminhão é movido a gás natural veicular (GNV)liquefeito (GNL) ou biometano, e conta com um modelo inovador por apresentar autonomia de 900 km e capacidade para carregar até 56 toneladas. A marca já disponibilizava modelos movidos a GNV, como o R 410 6×2 e P 340 4×2, mas a autonomia destes era menor do que 500 km.

Scania X-Gás. (Fonte: Sacnia/Divulgação)
Scania X-Gás. (Fonte: Scania/Divulgação)

O Scania X-Gás impressiona pelo tamanho e é baseado no modelo G 410 8×2, com chassi rígido. São 6,95 metros de distância entre-eixos, que possibilitam que sejam acomodados 16 cilindros de gás, oito de cada lado. Juntos, eles suportam 406 metros cúbicos de gás, que fornecem a autonomia de 900 km.

Seguindo a legislação de trânsito, o modelo pode carregar até 30 pallets, com implementos do tipo Romeu e Julieta, suportando até 56 toneladas. Outra opção é a configuração de rodas 8×2 com peso bruto total combinado (PBTC) de 29 toneladas. O Scania X-Gás é equipado com um motor de 13 litros, que tem a potência de 410 cavalos e torque 2.000 Nm (203.94 Kgfm).

Segundo Paulo Genezini, a Scania fomenta e incentiva parceiros distribuidores de combustíveis para ampliar a oferta do GNV e do biometano em todo País. A expectativa da marca é que, em pouco tempo, seja possível encontrar os combustíveis e a infraestrutura para o abastecimento nas principais rotas do transporte de cargas do Brasil. Isso permitirá uma logística de operação muito menos poluente.

Importância do GNV e do Biometano para o meio ambiente

O GNV é um combustível composto por hidrogênio e carbono, que gera menos poluentes em comparação a outros combustíveis fósseis. As emissões de gases poluentes chegam a ser 70% menores do que em veículos movidos a gasolina ou diesel.

Apesar do gás natural ser facilmente encontrado na Terra, ele não é um combustível renovável e suas principais fontes são jazidas de petróleo. Por isso, a importância do X-Gás também poder se movido a biometano, um combustível renovável derivado do biogás. O biogás é o gás produzido através da decomposição da matéria orgânica, de modo que o biometano pode ser produzido, por exemplo, através da extração de gases provenientes de aterros sanitários.

Conforme Genezini afirmou no Momento Mobilidade, estas opções são formas de mitigar os problemas da poluição no transporte de carga no Brasil. Veículos novos e menos danosos ao meio ambiente podem causar uma revolução, mesmo que ainda não seja completa, no sentido de aumentar as proteções ambientais. Além disso, eles utilizam tecnologia e toda malha viária já existente, se mostrando uma opção de custo bem menor em relação a veículos elétricos, que ainda sofrem com falta de infraestrutura para abastecimento.

Disposição dos cilindros do Scania X-Gás. (Fonte: Scania/Divulgação)
Disposição dos cilindros do Scania X-Gás. (Fonte: Scania/Divulgação)

Leia também:

Caminhão a gás é seguro?

A Scania garante a total segurança do sistema X-Gás desenvolvido no Brasil. Os cilindros são fabricados com o mesmo material de ogivas de mísseis e contam com três válvulas (vazão, pressão e temperatura) certificadas pelo Inmetro. Em caso de acidentes e ou qualquer anomalia, o gás é liberado para a atmosfera, onde ele se dissolve sem a chance de explosões como ocorrem em veículos a diesel.

Fonte: Agência Brasil – EBC, gov.br, abcdoabc, Caminhões e carretas, Scania, AutoData

194570cookie-checkScania apresenta modelo X-Gás