Summit Mobilidade

Como ter cidades mais inclusivas e seguras para a comunidade LGBT+?

28 de junho de 2023 3 mins. de leitura
Dia Internacional do Orgulho LGBT+, celebrado em 28/06, destaca a importância de promover mais acolhimento e representatividade nas ruas

Comemorado em 28/06, o Dia Internacional do Orgulho LGBT+ celebra os avanços conquistados para garantir uma convivência mais igualitária e inclusiva na sociedade, frutos de muita luta. Além disso, a data também lembra que ainda há muito a ser feito para tornar as ruas e os demais espaços mais seguros para toda a comunidade.

Segundo o Dossiê de Mortes Violentas contra LGBTI+ no Brasil, publicado pelo Observatório de Mortes e Violências contra LGBTI+, ao longo de 2022 houve 273 mortes violentas envolvendo pessoas deste grupo específico. Ainda dentro desse total, 228 delas foram provocadas por assassinatos.

O número, apesar de menor que o registrado em 2021, com 316 mortes, ainda é maior do que o apontado em 2020, com 237 ocorrências desse tipo. E, apesar da possível subnotificação dos casos envolvendo crimes de ódio, esses dados dão uma amostra concreta da necessidade que medidas concretas ofereçam mais segurança à comunidade.

Casos de violência de gênero mostram que o combate ao preconceito precisa ser mais efetivo nas cidades. (Fonte: Getty Images/Reprodução)

Em busca de ambientes mais inclusivos

Ao pensar na importância do papel dos espaços de acolhimento para a comunidade, há uma série de aspectos que devem ser levados em conta para tornar os ambientes mais seguros, como o treinamento dos profissionais envolvidos para que tenham uma ação de impacto positivo caso ocorra algum imprevisto, indo além de oferecer um tratamento respeitoso.

Inclusive, tratando-se dos ambientes privados, como restaurantes e demais estabelecimentos amigáveis ao público LGBT+, já há iniciativas que mostram o potencial de estimular que ambientes acolhedores sejam mais frequentados pelo público. Através do site Mapa LGBTI, por exemplo, é possível pesquisar por locais que tenham boas avaliações.

Leia também:

Na luta contra o preconceito, site ajuda a identificar e combater estabelecimentos LGBTIfóbicos. (Fonte: Getty Images/Reprodução)

Adotando espaços públicos para promover a inclusão

Considerando que as ruas e o transporte público devem ser igualmente seguros, assegurando o direito de ir e vir de todos, é válido considerar o papel de ferramentas tecnológicas e recursos para combater e não reproduzir o preconceito nas suas variadas formas. 

Seja ao realizar a denúncia de ocorrências, ou mesmo ao ajudar na identificação dos envolvidos em crimes de ódio, é essencial que o combate à violência de gênero conte com o apoio de toda a sociedade. Pensando nisso, é igualmente importante que espaços públicos sejam aproveitados para promover ações sociais que abordem a temática LGBT+ e preguem o respeito e a inclusão.

Em São Paulo, o Museu da Diversidade Sexual, localizado na Estação República do Metrô, é um desses locais que têm enraizada em suas temáticas a luta por respeito, inclusão e representatividade, tanto nos seus eventos quanto no acervo em exposição. Atualmente, o espaço se encontra em reforma para ser ampliado. Porém, uma vez reaberto, por dar uma amostra significativa do seu papel para o público LGBT+, o local certamente vale uma visita.

Fontes: Observatório de Mortes e Violências LGBTI+ no Brasil, Mapa LGBTI+, Museu da Diversidade Sexual

187550cookie-checkComo ter cidades mais inclusivas e seguras para a comunidade LGBT+?