Freio de bicicleta: tudo o que você precisa saber

23 de junho de 2022 4 mins. de leitura
O freio de bicicleta em boas condições garante a segurança e um bom desempenho ao ciclista

Conheça o principal evento de mobilidade urbana do Brasil!

Os freios estão entre os elementos fundamentais de segurança de qualquer bicicleta. Eles também ajudam no controle da bike, otimizando o desempenho. Mas, para melhorar a performance em diferentes terrenos, devem estar funcionando bem.

Por isso, é essencial verificar o estado deles e mantê-los sempre nas melhores condições. Conhecer o funcionamento dessa peça e realizar uma manutenção básica ajudarão a garantir que o sistema de frenagem de seu veículo seja eficiente e não perca potência nem falhe. Saiba mais sobre o freio de bicicleta.

Como funciona o freio de bicicleta?

Todos os freios de bicicleta são acionados a partir do manete no guidão. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)
Todos os freios de bicicleta são acionados por meio do manete no guidão. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)

O sistema de frenagem tem como função diminuir a velocidade da bicicleta ou interromper completamente o movimento dela e é composto de três componentes:

  • alavancas de freio no guidão;
  • cabos, hastes ou correntes que transmitem o sinal;
  • mecanismo de pinça ou freio a tambor nas rodas que param a bicicleta completamente.

Quando o ciclista aciona a alavanca, o sinal é transmitido no nível da pinça, induzindo que o mecanismo de frenagem provoque um atrito contra uma parte da roda da bicicleta, o que resulta na frenagem.

Quais são os tipos de freio de bicicleta?

Os freios a disco são considerados a tecnologia mais avançada em sistemas de frenagem para bikes. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)
Os freios a disco são considerados a tecnologia mais avançada em sistemas de frenagem para bikes. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)

Todos os sistemas de frenagem de bicicleta têm o mesmo mecanismo de acionamento, mas diferem pelo sistema de fixação das hastes, além de outros componentes.

Os novos tipos de freio evoluíram para proporcionar mais precisão e poder de frenagem, mas continuam coexistindo com modelos mais antigos. Confira quais são os principais a seguir.

1. Cantilever

O sistema cantilever tem dois cabos independentes conectados por meio de um cabo transversal que é responsável pela frenagem. As pastilhas de freio estão entre o eixo pivô e o suporte do cabo. Apesar de ter como vantagem a capacidade de bloquear o acúmulo de sujeira das trilhas de mountain bike, esse tipo caiu em desuso com o surgimento de sistemas de frenagem mais eficientes.

2. Ferradura

O freio ferradura, também conhecido como side pull, é semelhante ao cantilever, mas o cabo transversal é substituído por um mecanismo mais seguro de tração central. O sistema é ideal para bicicletas de velocidade devido à leveza, à eficiência e à potência. No entanto, com o aro molhado, o sistema perde aderência.

Leia também:

3. V-Brake

O V-Brake, conhecido como freio de tração linear ou direta, é um sistema popular de bicicletas de passeio por ser barato e de fácil regulagem e manutenção. Ele é uma evolução do cantilever, substituindo o cabo transversal por um dispositivo mais seguro em formato de “V”. Contudo, mantém o uso de pastilhas.

4. Freio a disco mecânico

Diferente dos sistemas anteriores, o freio a disco não envolve o aro na frenagem, mas sim rotores que são fixados nos cubos das rodas que servem como base para gerar atrito e frear a bicicleta. Isso o torna ideal para trilhas, onde há possibilidade de molhar as rodas. O acionamento mecânico utiliza cabos para transmitir o comando.

5. Freio a disco hidráulico

Os sistemas de frenagem hidráulicos usam pistões controlados por bomba hidráulica para provocar o atrito para o freio a disco. O mecanismo torna o comando mais leve e ideais para ciclistas de alta performance. A bicicleta, especialmente o quadro e a roda, devem estar preparados para receber esse tipo de freio.

Como saber se está na hora de trocar o freio?

As pastilhas de freio precisam ser substituídas de tempos em tempos, especialmente durante o inverno, pois acumulam mais areia e sujeira das estradas molhadas. De forma geral, se os freios não estão respondendo adequadamente, talvez seja a hora de substituí-las.

Nos sistemas de frenagem V-Brake, cantilever e ferradura, a hora de trocar as pastilhas é quando os dentes ou ranhuras na borracha somem. No caso dos freios a disco, é necessário remover a roda e puxar a pastilha para fora da pinça para verificar o desgaste. O ideal é que as pastilhas tenham ranhuras entre 3 mm e 4 mm de profundidade. Quando sobrar cerca de 1 mm, elas devem ser substituídas.

Quer saber mais? Confira aqui a opinião e a explicação de nossos parceiros especialistas em Mobilidade.

Fonte: Mxbikes, Bike Registrada, Doutor Bicicleta.

Este conteúdo foi útil para você?

143420cookie-checkFreio de bicicleta: tudo o que você precisa saber