Summit Mobilidade

Por que os nomes das estações do metrô de São Paulo estão mudando?

28 de junho de 2023 5 mins. de leitura
Estações do metrô de SP passaram por alterações recentemente e são alvo de críticas; entenda o motivo

Conheça o maior e mais relevante evento sobre o futuro da mobilidade no Brasil.

mudança no nome das estações do metrô de São Paulo virou assunto na gestão do atual governador Tarcísio de Freitas (Republicanos), que assumiu em 2023. Porém, a verdade é que essa questão já foi considerada em diversos momentos ao longo dos últimos anos, como visto em 2018, quando a estação Liberdade da Linha 1 – Azul foi renomeada para Japão-Liberdade.

Além do fato de se tratar de uma modificação em estações que são conhecidas por um determinado nome há anos — décadas, em muitos casos —, o risco de gerar confusão e mesmo os custos envolvidos na alteração da nomenclatura são apontados como pontos focais nas críticas realizadas.

Por outro lado, o governo entende que a mudança, ao promover uma nova forma de identificação com uma determinada localidade, também pode ser usada para fins publicitários, dando espaço à prática de naming rights.

(Fonte: Getty Images/Reprodução)
Desde 2018, a estação Liberdade da Linha 1 do metrô passou a se chamar Japão-Liberdade. (Fonte: Getty Images/Reprodução)

Concessão de espaço à iniciativa privada para fins publicitários

Desde 2021, a venda de naming rights foi oficializada no Estado de São Paulo, iniciando com a publicação de seis editais de licitações. Nesse tipo de prática, que faz uso das instalações do meio de transporte, empresas adquirem o direito de ter seu nome ligado a uma determinada estação por um período, aumentando a sua visibilidade.

Ao mesmo tempo, a administração arrecada fundos, que podem ser revertidos para a melhoria do próprio sistema do metrô, ou para custear a sua operação em um cenário em que há queda de arrecadação na sua principal fonte de renda: a tarifa cobrada dos passageiros.

Esse processo, de uma forma geral, envolve a substituição das placas de sinalização, mapas fixados e placas de identificação nos vagões, que passam por alterações para se adequarem à legislação.

Leia também:

(Fonte: Getty Images/Reprodução)
Estações da Linha 4 – Amarela e Linha 3 – Vermelha passaram por alterações nos últimos anos. (Fonte: Getty Images/Reprodução)

Novas mudanças nos nomes das estações do metrô de São Paulo

Assim, novas modificações já se fazem presentes nesse sentido: na Linha 4 – Amarela, operada pela CCR Mobilidade, a estação Paulista foi renomeada em abril deste ano, passando a se chamar Paulista PernambucanasO contrato que estipula a alteração, a princípio, tem validade de cinco anos.

Processo semelhante ocorreu com as estações Penha e Carrão, na Linha 3 – Vermelha do metrô. Com a mudança, elas passaram a atender pelos nomes Penha Lojas Besni (em 2022) e Carrão Assaí Atacadista (desde 2021), respectivamente. Já na Linha 1 – Azul, a estação Saúde foi renomeada para Saúde Ultrafarma em 2022.

Os críticos ainda apontam que, para que mudanças desse tipo ocorram, consultas públicas se fazem necessárias. Fato é que mesmo estações que não foram inauguradas podem ser alvo dessa alteração, como ocorrido com a estação Paulo Freire, integrante da Linha 2 – Verde, com previsão de ser entregue em 2026.

(Fonte: Getty Images/Reprodução)
Governo do Estado de São Paulo propôs mudança do nome da estação Paulo Freire. (Fonte: Getty Images/Reprodução)

Proposta acerca da mudança vai à justiça

Nessa proposta do governo, que defendia que a estação Paulo Freire passasse a se chamar Fernão Dias, apesar de ter sido inicialmente levada adiante, teve a alteração vetada pela justiça no final do mês de maio, em atendimento a um recurso que foi apresentado.

Como argumento, foi destacada uma lei em vigor na capital paulista. Ela estipula que nenhum espaço público pode atender pelo nome de figuras associadas a crimes contra a humanidade ou violação de direitos humanos — indo em oposição à ideia de utilizar o nome do famoso bandeirante.

Apesar da defesa apontar que a decisão teve como base consulta pública, com maioria dos votos favoráveis, a justiça entendeu que não havia elementos o suficiente para justificar a mudança. E uma vez ocorrida, ela ainda poderia induzir passageiros ao erro durante o deslocamento, considerando que a referida estação estará localizada na Avenida Educador Paulo Freire.

Fontes: Via Quatro, Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, Governo do Estado de São Paulo, MetroCPTM, Estadão

192470cookie-checkPor que os nomes das estações do metrô de São Paulo estão mudando?