É possível ir de bicicleta aos drive-thrus de vacinação?

9 de julho de 2021 4 mins. de leitura
Conheça cidades que estão abrindo espaço para as bikes nos drive-thrus de vacinas

Desde o início da pandemia, os veículos particulares se tornaram um meio de acesso aos cuidados contra o novo coronavírus, com a adoção massiva de drive-thrus para a realização de exames e vacinação. Contudo, a mobilidade ativa também pode ganhar espaço nesses serviços, com a permissão de acesso aos drive-thrus de vacinação por bicicletas. 

As primeiras medidas, nesse sentido, surgiram no final de maio de 2021, com o auxílio da Tembici, empresa de micromobilidade que mantém serviços de aluguel de bikes em diversas cidades brasileiras, e do Itaú Unibanco, parceiro da Tembici no projeto Bike Itaú. 

As duas empresas conseguiram firmar acordos com as prefeituras de São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Vila Velha, além do governo de Pernambuco, para permitir que as pessoas pudessem ir de bicicleta aos drive-thrus de vacinação e receber o mesmo tratamento do que aqueles que chegam de carro ou moto.

Em várias regiões do país, o automóvel ainda é o meio mais prático e seguro para ter acesso à vacina contra a covid-19 (Imagem: Estadão/Reprodução)
Em várias regiões do País, o automóvel ainda é o meio mais prático e seguro para ter acesso à vacina contra a covid-19. (Imagem: Estadão/Reprodução)

Vacina como incentivo à bicicleta

O projeto, batizado de “Vem vacina, vai de bike”, tem como objetivo oferecer uma alternativa segura e econômica de acesso aos locais de vacinação, além de buscar reforçar o papel da bicicleta como modal de transporte sustentável nas grandes cidades brasileiras. A partir desse posicionamento, a Tembici também está oferecendo locação de bikes gratuitas para que os usuários possam ir aos locais de vacinação sem custo. 

Para ter acesso à bicicleta, é necessário baixar o app Bike Itaú ou Tembici, acessar ou fazer uma conta no serviço e selecionar a opção “plano de vacinação”. Por fim, o ciclista deve digitar o código “primeira” ou “segunda”, de acordo com a dose que irá tomar, para liberar as bicicletas por 24 horas, sendo duas viagens de 3 horas cada — ida e volta do drive-thru de vacinação.

Em comunicado para a imprensa sobre o projeto, a Tembici também convida outras prefeituras — mesmo as que não têm seu serviço — a permitir as bicicletas nos drive- thrus de vacinação. “Unimos o acesso à vacina e a democratização do uso das bicicletas em uma só ação e esperamos que essa iniciativa ajude na missão de cada vez mais brasileiros serem vacinados”, afirmou Tomás Martins, diretor da empresa.

Empresa de micromobilidade Tembici está oferecendo locações grátis para incentivar a vacinação por bicicleta em várias cidades (Imagem: Tembici/Divulgação)
Empresa de micromobilidade Tembici oferece locações grátis para incentivar a vacinação. (Fonte: Tembici/Divulgação)

Mais opções para ampliar a vacinação

A questão do acesso à vacina apenas por automóveis tem sido problematizada desde que as primeiras doses começaram a ser aplicadas no Brasil, como já observado aqui no Estadão Summit Mobilidade

Em vista dessa situação, algumas cidades já começaram a fazer mudanças em seus planos de imunização para ampliar o acesso da população — em especial, a pobre e periférica — às doses. Em São Paulo, por exemplo, no mês de maio foram criados postos de vacinação em estações de metrô, trem e ônibus. 

Conforme a vacinação avança em todo o País, espera-se que mais cidades ampliem o acesso aos locais de vacinação, dando opções aos cidadãos — as regras ainda variam bastante de uma região para outra. Para saber se é possível ir de bicicleta ao drive-thru onde você mora, consulte a prefeitura da sua cidade.

Fonte: Tembici, Mobilize.

Este conteúdo foi útil para você?

107501cookie-checkÉ possível ir de bicicleta aos drive-thrus de vacinação?