Summit Mobilidade

Motoneta: mais praticidade e leveza na hora de se locomover

20 de abril de 2023 3 mins. de leitura
Saiba mais da motoneta e o que a diferencia das motocicletas

Conheça o maior evento de mobilidade urbana do Brasil.

O mercado de duas rodas tem inovado com opções de modelos que atendem a diferentes gostos e necessidades, e quem está ingressando nesse universo pode ter dúvidas na hora da escolha de um modelo específico. Nesse cenário, a motoneta, também conhecida como CUB, é um modelo que se tornou mais popular.

Diferentemente da motocicleta, ela apresenta um banco que oferece mais conforto ao motorista por não exigir que ele fique montado no veículo. Além disso, na motoneta, não é necessário ter tanto equilíbrio quanto na moto, não sendo necessário ficar voltado para os lados — outra característica que diferencia esses dois tipos de veículo.

(Fonte: Honda/Reprodução)
Honda Biz 125. (Fonte: Honda/Reprodução)

Para quem pretende rodar em apenas uma cidade, ela se apresenta como uma opção mais convidativa. Afinal, oferece desempenho superior ao da scooter, com modelos, como a Honda CG160, que permitem a escolha da marcha durante a locomoção. Logo, trata-se de um veículo de cilindrada mais baixa, entre 100 cc e 125 cc.

Com as scooters, há algumas diferenças mais presentes: além da proteção para os pés, o câmbio é automático, de modo que o motorista apenas precisa acelerar ou frear. As rodas da motoneta, no entanto, não são tão pequenas quanto as das scooters: estas têm a faixa média de 10 polegadas na traseira e 12 polegadas na dianteira, sendo adaptada para uso em velocidades mais baixas.

Leia também:

Por apresentar desempenho mais modesto, as motonetas não devem ser utilizadas em estradas. (Fonte: Unsplash)
Por apresentar desempenho mais modesto, as motonetas não devem ser utilizadas em estradas. (Fonte: Unsplash/Reprodução)

As motonetas, por sua vez, apresentam rodas aro 17 polegadas na dianteira e 14 polegadas na traseira, sendo um meio-termo entre as motocicletas e as scooters, configurando-se como uma opção atraente para quem está iniciando.

Se as motos apresentam maior robustez e desempenho com um sistema tradicional de embreagem e câmbio, as motonetas se destacam pelo sistema semiautomático, ainda sendo necessário que o condutor faça a troca das marchas no pedal.

Alguns modelos apresentam porta-objetos, como a Honda Biz 125, mas isso não é uma regra para a categoria. Outro ponto é a presença do tanque menor, que acaba conferindo uma maior leveza na hora de se locomover. Os novos modelos também já apresentam painel digital, ou seja, além de ter fácil manutenção, a motoneta oferece praticidade e versatilidade ao motorista.

Independentemente da cilindragem, a habilitação é obrigatória para pilotar. Para os veículos de menor cilindragem (inferior a 50 cc), é necessário completar as aulas teóricas e práticas de menor duração para ter a Autorização para Conduzir Ciclomotores (ACC).

Já a carteira nacional de habilitação (CNH) para motos (obtenção da categoria do tipo A), incluindo a motoneta, permite a condução de qualquer tipo, sendo mais abrangente — devido aos custos, é a opção mais procurada. O uso de equipamento de proteção, como o capacete, também é obrigatório.

Fonte: Estadão

173300cookie-checkMotoneta: mais praticidade e leveza na hora de se locomover